Links de Acesso

Mais de 72 milhões de deslocados no mundo - diz relatório da Cruz Vermelha

  • Redacção VOA

Terromotos e cheias estão entre os maiores desastres mundiais urbanos

Terromotos e cheias estão entre os maiores desastres mundiais urbanos

Publicado hoje em Genebra, o documento anual da Cruz Vermelha contabiliza os desastres do último ano e avalia o custo dos prejuízos em bilhões de dólares

Um relatório da Federação Internacional das Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, indica que mais de 72 milhões de pessoas ou seja um em cada cem habitante no mundo é forçado a situação de deslocado.

Intitulado de Relatório de Desastres Mundiais, este documento publicado anualmente pelo movimento internacional da Cruz Vemelha analisa o crescente fenómeno de migração forçada, e apela aos governos a tomarem medidas para aliviar a situação de dezenas de milhões de pessoas forçadas a abandonar os seus lares.

O Relatório afirma que o ano de 2011 conheceu os disastres naturais mais caros dos últimos dez anos, em termos de custos. Isso apesar de no ano passado ter havido menos disastres.

Ao todo, o relatório reportoriou 336 desastres que terão tido um custo em prejuízos no valor de 365.5 mil milhões de dólares. Mais de metade desses custos tem a ver com o terramoto e o marmoto de Fukushima no Japão.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha qualifica de dramáticas as estatísitcas, ao constatar que um número crescente de pessoas foi forçado a fugir de suas casas em resultado de factores como conflitos, perseguições, desastres, pobreza e mudanças ambientais.

Sue Lemesurier é chefe da unidade de migrações da Federação Internacional da Cruz Vermelha e trabalha com a organização há 20 anos.

“Como o Relatório Desastres Mundias destaca este ano, muitos desses migrantes chegam nas suas novas destinações num estado péssimo e de aflição. Crianças, particularmente aquelas que foram separadas das suas famílias, dos seus pais, estão muitas vezes traumatizadas, depois de experimentarem várias dificuldades ao longo do caminho. É importante que governos e comunidades onde chegam possam estar em condições de lhe fornecer mais e melhor esperanças, apoio psicológico, conselhos e assistencia humanitária.”

Dos mais de 72 milhões de deslocados, as Nações Unidas estimam que somente 15 milhões são considerados de refugiados, ou seja aqueles que fogem as perseguições e conflitos. O declínio do número de guerras nos últimos 25 anos e e de mortes resultantes de guerras civis, representa apenas um quarto dos registados nos anos de 1980.

Assim, as Nações Unidas afirmam que a violencia e o conflito ainda afectam um em quatro pessoas no mundo. O Relatório Desastres Mundiais indica que um número crescente de pessoas é forçado a imigrar, por causa de uma série de factores que incluem o conflito e violencia, desastres, mudanças políticas e também em larga escala em consequencia de projectos de desenvolvimento.

O documento estima que pelo menos 15 milhões de pessoas são deslocadas todos os anos em resultado de projectos de desenvolvimento, tais como construções de barragens ou projectos de requalificação urbana.
XS
SM
MD
LG