Links de Acesso

VOA ajuda família separada pela guerra civil em Angola a se conectar após 38 anos sem informação

  • Danielle Stescki

Espaço do Ouvinte

Espaço do Ouvinte

A guerra civil em Angola separou muitas famílias, inclusive a da angolana Maria do Rosário Azevedo Rodrigues Costa, 49 anos, natural do Quibala, Cuanza Sul. Em setembro de 1975, ela, os irmãos e os pais foram para Castelo Branco, Portugal.

Hoje Maria do Rosário reside em Boliqueime, Portugal. Há 38 anos estava à procura da tia, Guilhermina Lopes de Azevedo. Já havia enviado e-mails para várias rádios e televisões a fim de pedir ajuda para encontrar a tia.

A idéia de contactar a Voz da América veio do primo, Jorge de Azevedo, que mora na Alemanha.

Ele foi entrevistado pelo Serviço Português no “Espaço do Ouvinte” e enviou a entrevista para a prima, Maria do Rosário. Após conversarem, ele aconselhou que ela pedisse ajuda na rádio da VOA.

Em 21 de março de 2013, Maria do Rosário enviou um e-mail à chefe do Serviço Português, Ana Guedes, e pediu ajuda para encontrar a tia. A única informação que tinha era que Guilhermina, que estava grávida, havia ido para o Brasil com o marido e as duas filhas. Encontrar a tia não era somente um desejo dela, mas também da mãe de 78 anos.

Na semana seguinte, a jornalista Danielle Stescki da VOA entrevistou Maria do Rosário e a conversa foi ao ar no dia 31 de março. Usou-se a conta do Serviço Português no Facebook para procurar Guilhermina, mas rapidamente ficou constatado que ela não estava na rede social.

Mesmo assim, a informação de que Maria do Rosário estava à procura da tia foi publicada várias vezes no Facebook.

O primo da Alemanha viu os posts e começou a compartilhar. Enquanto isso, Maria do Rosário criou uma conta no Facebook. Algumas semanas depois recebeu uma mensagem na rede social. Uma pessoa chamada Marlon Azevedo escreveu-lhe uma mensagem e informou que era neto de Guilhermina.

Depois disso, foi só emoção. Trocaram números de telefone e confirmaram que eram realmente parentes. Logo uma conversa no Skype foi programada. Maria do Rosário e a mãe tomaram calmantes para se prepararem para o encontro. A emoção foi tremenda quando a tia, que estava no Brasil, apareceu no vídeo. Maria do Rosário contou que ela e a mãe não seguraram a emoção e choraram muito.

“Foi muito emocionante encontrar a minha tia, as minhas quatro primas e o pai delas. Hoje temos contacto diário,” contou.

Mas o contacto com a tia não parou aí. Maria do Rosário começou a procurar nas redes sociais por outros membros da família. Desde julho de 2013 ela já descobriu parentes em Angola, Brasil, Portugal, Alemanha, e África do Sul. Ela explica: “Comecei a procurar uma tia da qual eu não sabia nada há 38 anos, e encontrei uma família da qual eu não sabia nada desde 1975."

Oiça a conversa
XS
SM
MD
LG