Links de Acesso

Processo da morte de engenheiro da Sonangol desaparece

  • Coque Mukuta

António Brito

António Brito

Viúva desconhece as causas da morte e não recebu ainda o subsídio de morte

A viúva do engenheiro da Sonangol António Brito, encontrado morto na sede da companhia petrolífera, diz que até agora não foi informada sobre as causas a morte do seu marido.

Carolina Calei diz ter começado a receber a segurança social, faltanto, contudo, o pagamento do subsidio de morte a que diz ter direito.


António Brito foi encontrado morto na sede da empresa no dia 22 de Fevereiro de 2012 com a família a não aceitar a versão oficial.

A controvérsia agravou-se quando a sua viúva disse que a companhia Ase recusava a pagar o que devia por não ser formalmente casada como engenheiro.

Segundo Carolina Calei, o processo de investigação das causas da morte do seu marido desapareceu.

O seu advogado disse-lhe que não conseguiu encontrar o processo com ninguém.

“É impossível um processo perder-se assim”, disse.

Carolina Calei disse ainda que que a empresa garantiu-lhe o pagamento da segurança social faltando agora o subsidio de morte que tem por direito.

A companhia, disse, continuar a exigir um documento de união de facto.
XS
SM
MD
LG