Links de Acesso

Vendedores clandestinos de vacinas presos em Luanda

  • Coque Mukuta

Longas filas de vacinação e tímida campanha de limpeza em Luanda.

O ministro do Interior Ângelo da Veiga Tavares anunciou esta terça-feira a detenção de vários cidadãos que desviaram doses da vacina “contra a febre amarela para a sua comercialização a preços elevadíssimos”.

A doença já provocou 37 mortos e registou mais de 191 casos em Angola, com particular incidência a capital Luanda.

As filas para vacinação são longas e cidadãos queixam-se da demora em serem atendidos.

Luís Augusto André, que se deslocou com três filhos ao posto médico Ana Paula na Vila de Viana, diz ter esperado mais de 5 horas para ser atendido.

“Estamos aqui das 7 horas e são 12 horas, mas não fomos atendidos”, disse.

Já Adelaide de Carvalho, directora nacional de Saúde Pública, afirmou que o número de morte das últimas 24 horas “mantém-se em 37, mas o número de pessoas com a febre amarela chegou a 191”.

De recordar que as vacinas estão a ser administradas apenas no município de Viana, por ser onde começou o surto da febre amarela.

Por agora, nota-se uma tímida campanha de limpeza nos bairros de Luanda.

XS
SM
MD
LG