Links de Acesso

Vasco Martins e Tchalê Figueira recordam Cesária Évora com “A Rota da Lua Vagabunda”

  • Amâncio Miguel

Cesária Évora

Cesária Évora

Os momentos de convívio com Cesária Évora inspiraram o livro “A Rota da Lua Vagabunda”, lançado, esta semana, em Cabo Verde, por Vasco Martins e Tchale Figueira.

Tchalê Figueira é artista plástico. Conheceu Cesária Évora na juventude, mas maior convívio foi após o seu regresso da Suiça, em 1985.

Tchalê recorda uma “Cesária rebelde por natureza, caprichosa, que fazia as coisas como queria.”

E tem muitas saudades dela: “Na minha imaginação ela está sempre sentada nas escadas da casa dela…onde sempre sentou antes da fama”.

Vasco Martins tem memórias da Cesária reservada no tocante à questões íntimas, mas de uma simplicidade autêntica e “uma voz de veludo violeta”.

“A Cesária que conheci no piano bar, em Mindelo, é a Cesária que vi actuar em Paris. Não mudou absolutamente em nada, tinha uma simplicidade autêntica”, recorda-se Martins.

Martins tocou com Cesária e trabalhou com ela num projecto discográfico que não se concretizou.

Nascida em a 27 de Agosto de 1941, em Mindelo, Cesária Évora é a maior estrela da música de Cabo Verde. Morreu, a 17 de Dezembro de 2011, aos 70 anos.

Acompanhe:

XS
SM
MD
LG