Links de Acesso

Líder da bancada da UNITA demite-se para casar com Ministro dos Estrangeiros

  • Agostinho Gayeta

Alda Juliana Paulo Sachiambo

Alda Juliana Paulo Sachiambo

A decisão de Alda Sachiambo coincide com planos para contrair matrimónio com George Chicoty, actual Ministro das Relações Exteriores

A Assembleia Nacional de Angola aceitou nesta terça-feira, na sua 20ª Sessão Plenária Ordinária a declaração de renúncia ao mandato de deputada à este órgão de Soberania da República de Angola apresentado por Alda Sachiambo, a presidente da bancada parlamentar da UNITA.

A renúncia de Alda Juliana Paulo Sachiambo ao cargo de deputada à Assembleia Nacional foi feita em conformidade com o artigo 152 da Constituição da República. Nos termos da lei, esta renúncia só se torna efectiva após a apresentação ao plenário do Parlamento a declaração de resignação por escrito;

Com a apresentação desta declaração está confirmada a saída de Alda Sachiambo, até agora líder da bancada parlamentar do Galo Negro, que renuncia ao seu de mandato de deputada por alegadas questões de saúde, segundo fez saber o vice-presidente do grupo parlamentar da UNITA.

Silvestre Gabriel, “Samy”, diz, por outro lado, que o grupo de deputados da UNITA não estava preparado para a renúncia da sua presidente parlamentar, mas encara a situação com muita firmeza. Por esta razão assegura que a direcção do Galo Negro vai, brevemente, fazer a apresentação de uma proposta à Assembleia Nacional para o preenchimento desta vaga, deixada por Alda Sachiambo.

Alda Juliana Paulo Sachiambo é considerada como uma das figuras mais carismáticas da UNITA. É reconhecida a sua capacidade política e moral de longo percurso político.

Em Junho de 78, tornou-se na única mulher que fez parte do Conselho de Revolução do então movimento rebelde, ainda no tempo do ex-presidente da UNITA Jonas Malheiro Sidónio Savimbi, ostentado a patente de tenente-coronel.

Sachiambo foi também uma das dinamizadoras do braço feminino da UNITA. Em 1982, foi coordenadora da Liga da Mulher Angolana (LIMA), dois anos depois veio a ser a presidente da organização feminina do Galo Negro. Em 1988, foi indigitada para exercer as função de ministra-adjunta do Trabalho e Abastecimento.

Já desempenhou funções de secretária provincial da UNITA, no Huambo, que mais tarde veio a cessar por motivos de saúde, tendo sido transferida para Luanda, onde passou a desempenhar o papel de assessora política do actual presidente da UNITA, Isaías Samakuva.

Segundo se lê na página da Internet “Club K”, ligada à UNITA, a decisão de Alda Sachiambo coincide com planos para contrair matrimónio com George Chicoty, actual Ministro das Relações Exteriores de Angola e antigo militante da UNITA. Ambos tornaram-se noivos há cerca de dois meses. Sachiambo conheceu Chicoty quando eram ainda miúdos no Huambo. Na altura chegaram a ter uma relação que parecia de namorados de infância. Mais tarde, viriam a ter destinos diferentes, dentro da UNITA, e Sachiambo acabaria por se casar com o antigo chefe de estado-maior das FALA, Waldemar Pires Chindondo, e, mais tarde, tornou-se esposa de Jonas Malheiro Savimbi.

XS
SM
MD
LG