Links de Acesso

União Kiela – 60 anos de Carnaval em Luanda

  • Margareth Covie

Carnaval é celebrado em quase todo o continente africano

Carnaval é celebrado em quase todo o continente africano

Eme Ngo dos Santos, é o coreografo, responsável pela coesão rítmica dos mais de 200 elementos do Kiela. O semba é a dança privilegiada do grupo. Nos 3 anos que trabalha com o grupo, Eme Ngo já conseguiu um primeiro lugar e um segundo.

6 Fev 2011 - A União Kiela do Sambizanga começou a dançar o Carnaval antes mesmo que pudesse desfilar na marginal de Luanda à disputa com outros grupos. Isabel Ventura é uma das fundadoras do grupo que, em 1947, começou como um simples conjunto de amigos com disposição para festejar o Carnaval mas depois ganhou fôlego para competir para o troféu principal em Luanda.

Hoje Isabel Ventura é mais velha. A idade já não permite que tenha a mesma agilidade e saúde necessária para acompanhar o Kiela. No entanto, nos pés carrega as histórias das danças e dos carnavais que vem vivendo há mais de 60 anos.

A União Kiela está já na preparação do Carnaval 2011. É dos mais antigos e tradicionais de Luanda. Durante os mais de 20 anos de competição dos grupos de Carnaval em Luanda, arrebatou 5 e na marginal faz frente a grupos como União Mundo da Ilha, União Cabo Comeu e outros que delimitaram o seu espaço com a idade, experiência e tradição que se vai passando de geração para geração.

É verdade, é um grupo família. Prova disso são as netas, filhos, sobrinhos, noras, cunhados e outros parentes que hoje animam igualmente os passos e as danças do União Kiela vivendo no Carnaval o testemunho recebido dos seus mais velhos.

Hoje, a nova rainha do grupo há 7 anos, é uma prova disso mesmo. Foi escolhida entre mais de 100 jovens. Valeram as suas qualidades.

Mas o Kiela não é apenas um grupo de Carnaval. Ao longo da sua história ele sempre se afirmou como um movimento de classe. Da classe de pescadores e vendedoras de peixe em Luanda, especificamente do mercado do são Paulo, no Município do Sambizanga.

Essa é exactamente a voz que não podia faltar. Chama-se Maravilha Dias dos Santos, recebeu o legado da sua mãe. É já a segunda geração da família a cantar e animar a caminhada do grupo do Sambila.

Canta já há 10 anos na União Kiela e claro já prepara a sua filha para um dia assumir o posto.

Mas a música só ganha vida quando a coreografia acompanha. E essa é a missão de Eme Ngo dos Santos, o coreografo, responsável pela coesão rítmica dos mais de 200 elementos do Kiela.

O semba é a dança privilegiada do grupo. Neste ano dois estilos diferentes vão ser dançados e farão dançar na marginal. Nos 3 anos que trabalha com o grupo, Eme Ngo já conseguiu um primeiro lugar e um segundo.

O Kota João, mais conhecido por Jajão, é o tocador da tumba. Entrou no União com 10 anos de idade. A história da vida do mais velho Jajão é praticamente a mesma do grupo Kiela.

Outro som, outro instrumento e outro tom anuncia a trombeta. É seu tocador, António Caldeira mais conhecido por “Man Pipi”. Aprendeu a tocar pela boca de um tio. Mas a curiosidade fala mais alto. A corneta já esta cansada. Hoje, ela toca com ajuda de uma mangueira e muita fita adesiva.

E é também no soar deste som que os integrantes do Kiela vão buscar forças para ganhar o Carnaval deste ano, alias, a competição há muito que é renhida. A galeria do União Kiela conta já com 5 troféus. Dos anos 1985, 1986, 1989, 1990 e 2009.

XS
SM
MD
LG