Links de Acesso

Dois mortos no ataque suicida contra embaixada americana na Turquia

  • Redacção VOA

Uma mulher ferida no antentado a ser transportada pelos serviços de socorro, na embaixada americana de Ancara

Uma mulher ferida no antentado a ser transportada pelos serviços de socorro, na embaixada americana de Ancara

As vítimas são um guarda da embaixada e o kamikaze que se fez explodir no momento de inspecção

Pelo menos duas pessoas morreram hoje num ataque suicida contra a embaixada americana na Turquia. Não houve até ao momento a reivindicação do ataque.
Responsáveis afirmam que a vítima é de turca e era guarda de segurança na embaixada de Ancara.

Um repórter do serviço em língua turca da Voz da América disse que o guarda foi morto próximo da máquina de raio X no posto de controlo, além do atacante suicida. O mesmo adiantou que as câmaras de segurança não estavam em funcionamento no momento do ataque, por causa do corte da electricidade na área, momentos antes do ataque.

Um empregado da embaixada disse que a as instalações diplomáticas foram encerradas e o pessoal encontra-se em zonas protegidas. Ambulâncias e bombeiros foram enviados para a zona. A polícia bloqueou o acesso a zona, onde se encontram igualmente várias outras embaixadas. Especialistas em explosivos e a polícias tomaram todas as precauções de forma a prevenir possíveis novos ataques.

Trata-se do segundo ataque contra as instalações diplomáticas americanas na Turquia em 5 anos. Em 2008 três homens armados e três polícias tinham sido mortos num ataque no exterior do consulado americano em Istambul.

O Departamento de Estado norte-americano declarou que estava em contacto com a polícia turca a fim de fazer uma avaliação completa dos prejuízos e das vítimas e investigar o acto que qualificou de atentado terrorista.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan confirmou por sua vez que a explosão foi um atentado suicida e apelou a um esforço global para combater “os elementos terroristas”.
XS
SM
MD
LG