Links de Acesso

Tráfico humano aumenta através da fronteira moçambicana de Ressano Garcia

  • Simião Pongoane

Fronteira de Ressano Garcia

Fronteira de Ressano Garcia

A África do Sul é considerada fonte e ao mesmo tempo destino de pessoas traficadas.

A polícia sul-africana diz que estão a aumentar os casos de tráfico de pessoas para a África do Sul, através de Moçambique, na região baixa da província de Mpumalanga que faz fronteira com o território moçambicano.

Segundo a polícia, dois suspeitos de origem asiática foram detidos no ultimo fim de semana numa operação policial na qual foram resgatados 30 cidadãos do Paquistão e do Bangladesh, traficados para África do Sul, a partir do vizinho Moçambique.

Os dois detidos, suspeitos de serem membros de um sindicato de traficantes de pessoas, compareceram nesta segunda-feira, 8, ao Tribunal de Tonga, mas depois foram libertados sob fiança, tendo o caso sido adiado para 8 de Janeiro.

A África do Sul é considerada fonte e ao mesmo tempo destino de pessoas traficadas, sobretudo mulheres e crianças que são basicamente exploradas na indústria de sexo e trabalho forçado.

Moçambique é tido como porta de entrada mais fácil para traficantes de seres humanos com destino à África do Sul.

Os paquistaneses e bengalis resgatados pela policia sul-africana terão conseguido vistos de turismo para Moçambique em representações diplomáticas ou consulares moçambicanas na Ásia.

Mas na África do Sul, a legislação sobre o tráfico de pessoas é muito dura. Este tipo de crime é punido com prisão perpétua ou cerca de 10 milhões de dólares americanos.

Com a previsão de grande movimento de pessoas e bens entre os dois países por causa da quadra festiva, as autoridades sul-africanas e moçambicanas reúnem-se amanhã para planificação das ações conjuntas.

O posto fronteiriço de Lebombo/Ressano Garcia, o mais movimentado entre os dois países, vai funcionar 24 horas por dia a partir desta quarta-feira até 18 de Janeiro e na estrada haverá tolerância zero para automobilistas oportunistas, segundo afirma o Director Regional Sul dos serviços aduaneiros de Moçambique, Casimiro Mabota.

Segundo Mabota, “as Alfândegas preparam-se para o reforço da equipa dos funcionários que trabalham na fronteira de Ressano Garcia para o controlo em conjunto com outras forcas, a PRM (Policia da Republica de Moçambique) Migração e Guarda Fronteiras, do movimento de pessoas e bens e garantir a passagem tranquila de todos aqueles que demandam os serviços da fronteira por ocasião da quadra festiva”.

Espera-se que mais de 100 mil pessoas passem pela fronteira de Lebombo/Ressano Garcia nesta quadra festiva.

XS
SM
MD
LG