Links de Acesso

Terrorista que atacou universidade do Quénia era um advogado "brilhante"


Estudantes da Universidade do Quénia a serem evacuados após o ataque do al-Shabab

Estudantes da Universidade do Quénia a serem evacuados após o ataque do al-Shabab

Abdirahim Abdulahi é um dos quatro terroristas envolvidos no ataque terrorista na Universidade de Garissa, em que 148 pessoas foram mortas na Quinta-feira, 2 de Abril.

Abdulahi é filho de um político local e segundo os jornais quenianos é membro do grupo al-Shabab.

Depois de horas de tiroteio, as forças quenianas cercaram o campus e conseguiram matar os quatro terroristas. Abdulahi foi identificado no Sábado quando as Forças de Defesa do Quênia (KDF, em inglês) exibiram os corpos dos quatro responsáveis pelo atentado.

O pai do terrorista, cujo nome não foi revelado, já havia alertado as autoridades que o seu filho tinha desaparecido e que suspeitava que tinha viajado para a Somália, já que no último ano não queria dar pistas sobre seu paradeiro.

O pai já tinha denunciado que Abdulahi poderia ter-se unido ao grupo islamita al-Shabab quando estava na frequência do segundo ano de Direito na Universidade de Nairobi.

Uma pessoa próxima ao terrorista definiu-o como "um advogado brilhante com um futuro promissor". De acordo com o registo escolar do suspeito, ele terminou o ensino médio com uma performance impecável.

O al-Shabab está baseado na Somália e os seus membros cruzam frequentemente a fronteira para realizar atentados no Quénia. A cidade de Garissa, onde fica a universidade atacada, está localizada a 200 quilómetros da Somália.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG