Links de Acesso

Tartarugas marinhas têm protecção especial em São Tomé e Príncipe

  • Óscar Medeiros

Infractores podem incorrer em punições que irão até à privação da liberdade.

Em São Tomé e Príncipe, a captura e a comercialização de tartarugas marinhas passam a dar prisão. A lei que proíbe esta prática já entrou em vigor.

A lei aprovada em 2014 acaba de ser publicada no Diário da República. A partir de agora, quem for apanhado pelas autoridades a capturar ou a comercializar tartarugas marinhas e seus derivados deve responder criminalmente.

Os infractores podem incorrer em punições que irão até à privação da liberdade.

Com esta iniciativa, o director-geral do ambiente Arlindo Carvalho pretende levar a cabo uma campanha de sensibilização junto dos pescadores e da população em geral.

Entretanto, apesar de a lei estar em vigor, a carne e outros derivados de tartarugas marinhas continuam a ser comercializados nos mercados de São Tomé e Príncipe.

XS
SM
MD
LG