Links de Acesso

Taiwan e China realizam conversações oficiais

  • Redacção VOA

Wang Yu-chi, ministro taiwanês do interior

Wang Yu-chi, ministro taiwanês do interior

Encontros esta semana em Nanjing entre os dois governos são vistos antes de tudo como simbólicos e não substantivos.

A China-Taiwan e a República Popular da China realizam esta semana conversações oficiais, um primeiro passo histórico para os dois governos desde o fim da guerra civil, há mais de duas décadas.


Diferenças políticas persistem e pelo facto de os dois governos não se reconhecerem mutuamente, alguns analistas afirmam que essas conversações poderão marcar um pequeno passo para laços oficiais mais normais ou talvez mesmo um início de um processo que poderá terminar, ainda este ano, num encontro entre os presidentes da China Popular Xi Jinping e de Taiwan, Ma Ying-jeou.

Desde a eleição do presidente taiwanês Ma Ying-jeou em 2008, Taipei e Pequim deram passos largos para o reforço das relações económicas.

Enquanto o comércio bilateral foi reforçado, a popularidade interna do presidente Ma caiu consideravelmente. Começa até a haver receios, tanto da parte do presidente taiwanês como dos líderes da China Popular, que o reforço dessas relações possa provocar a derrota do partido no poder em Taipei, o Partido Nacionalista.

Com eleições legislativas previstas para o final deste ano, o presidente taiwanês tem esperanças de poder capitalizar-se politicamente através do estreitamento das relações com a China Popular.

Joseph Cheng é politólogo na City University em Hong Kong, explica: “O risco político vai depender de como a administração Ma Ying-jeou vai lidar com isso, se vai ou não ajudar a aumentar a sua popularidade e a melhorar os resultados nas eleições parlamentares e eleições locais no final do ano; se ele falhar a nível das eleições como desses encontros com Pequim, vai ser então alvo de críticas para a oposição, com repercussões para o futuro do Kuomintang, o partido nacionalista”.

Taiwan e China Popular se separaram após o fim da guerra civil da década de 1940, quando os comunistas derrotaram os nacionalistas que, por sua vez, foram refugiar-se na ilha de Taiwan.

Quando os nacionalistas fugiram da China, a cidade de Nanjing era conhecida como o seu reduto e esta visita vai ser uma oportunidade para o ministro taiwanês do interior, Wang Yu-chi, revisitar um passado histórico.

O politólogo Joseph Cheng diz que as conversações desta semana poderão igualmente confirmar a possibilidade de um eventual encontro entre os presidentes Ma e Xi Jinping no final deste ano.

“Os líderes taiwaneses gostariam de somar algumas vitórias ainda nos anos que restam da administração Ma Ying-jeou. O presidente Ma deve concluir o seu mandato no início de 2016 e, dada a situação de momento, é quase certo que o Partido Democrático Progressista, na oposição venha a ganhar as eleições presidenciais”, diz Cheng

O ministro do interior taiwanês afirmou que o encontro da Organização de Cooperação Económica Asia e Pacífico a ter lugar em Pequim no mês de Novembro poderia ser um palco ideal para os dois presidentes se encontrarem. Num fórum do género, os dois poderão se apresentar como líderes de duas importantes economias e dirigirem-se directamente, pondo de partes as questões políticas mais prementes ou então delinear vias de como as resolver.
XS
SM
MD
LG