Links de Acesso

Subida de preços dos combustíveis para quase o dobro é "batata quente" para o governo são-tomense

  • Óscar Medeiros

Patrice Trovoada

Patrice Trovoada

A confirmação dos aumentos de preços dos combustíveis seria, com certeza, um golpe duro nos bolsos das famílias são-tomenses

25 Jan, 2011 - A Empresa Nacional de Combustíveis e Óleo são-tomense (ENCO) propõe um aumento, em alguns casos para o dobro, os preços dos combustíveis, nomeadamente a gasolina, o gasóleo e o petróleo de uso doméstico.A proposta da ENCO é, sem dúvida, uma "batata quente" nas mãos do governo de Patríce Trovoada.
A empresa constituída por mais de 75 por cento de capital da Sonangol,de Angola, propôs ajuste nos preços da gasolina, do gasóleo e do petróleo de uso doméstico,alegando a subida de custo dos carburantes pelo seu fornecedor.
Assim sendo, a ENCO propõe que a gasolina saia dos actuais 22 mil dobras para mais de 34 mil dobras o litro, um aumento em mais de 50 por cento.O gasóleo de acordo com a proposta da empresa nacional de combustíveis e óleos enviada ao governo deverá passar de 18 mil para pouco mais de 21 mil dobras o litro, e por último, o petróleo doméstico que neste momento custa nove mil dobras deverá subir para mais de 16 mil e quinhentas dobras o litro.
De acordo com a nota da enco enviada ao governo estes ajustes, deverão recair já sobre o último carregamento de combustível do dia 24 deste mês.
O executivo prepara-se agora para negociar com Empresa Nacional de Combustíveis e Óleos a proposta de ajuste, mas a ENCO já deixou claro que, se os preços não forem actualizados nesta ordem de aumentos,a empresa terá prejuízos, tendo em conta a nova subida de crude no mercado internacional.
A confirmação dos aumentos de preços dos combustíveis seria, com certeza, um golpe duro nos bolsos das famílias são-tomenses, na sua maioria com salários que ainda rondam as 720 mil dobras (cerca de 40 dólares americanos).

XS
SM
MD
LG