Links de Acesso

"O sonho do mundo não morreu", Moçambique reaje com surpresa à eleição de Trump

  • Ramos Miguel

Moçambique terá que fazer por merecer uma grande visibilidade dentro da política externa dos Estados Unidos

Em Moçambique, a eleição de Donald Trump nas presidenciais americanas surpreendeu vários analistas, que previam que Hillary Clinton ganhasse o escrutínio.

Os governantes moçambicanos, geralmente não reagem, de imediato a determinados assuntos, optando sempre por fazer um compasso de espera.

A chefe da bancada da Renamo, Ivone Soares, sonhava acordar esta quarta-feira, 9 de Novembro, com uma mulher Presidente nos Estados Unidos da América:

"Não foi desta vez que tivemos uma mulher Presidente, mas acreditamos que o sonho do mundo não morreu, e nas próximas eleições, os americanos terão uma oportunidade de candidatar outras mulheres", destacou aquela parlamentar.

Durante a campanha eleitoral, o candidato vencedor foi muitas vezes acusado de usar uma linguagem muita dura relativamente a diversos assuntos, não só da vida americana, como também do resto do mundo. Mas Venâncio Mondlane diz que isso foi apenas um discurso de campanha.

Analistas fazem notar que tendo em conta a nova realidade americana, resultante da eleição de um Presidente que se diz muito preocupado com o seu país, Moçambique terá que fazer por merecer uma grande visibilidade dentro da política externa dos Estados Unidos.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG