Links de Acesso

Sobas acusados de ordenar a destruição de casas de membros da Unita em Malanje

  • Isaías Soares

Conflitos começaram com remoção de simbolos do Galo Negro

Os sobas da aldeia Cahonde, comuna da Kapunda, município de Luquembo, cerca de 300 quilómetros de a sudeste província de Malanje, são acusados de serem os autores morais e materiais da destruição das residências dos militantes da Unita naquela localidade.

A denúncia é de residentes.

“Às 18 horas, foram os sobas, o administrador (comunal) é que mandou para destruir”, denunciou Paulino Manuel, que diz ter visto “desaparecer cinco cadeiras, 180 mil kwanzas, enquanto a moto foi levada”.

Madalena Alfredo está igualmente ao relento com os seus filhos.

“Quando eles chegaram à noite encontraram apenas as crianças e começaram a tirar-lhes para fora, então, começaram a rasgar todas as cortinas, as portas e outras coisas e ninguém deu conta quem era o fulano”, disse.

As autoridades tradicionais de Kapunda mobilizaram-se para desalojar todos quantos se identificam com o partido criado por Jonas Malheiro Savimbi, disse uma das vítimas.

Sobas a remover a bandeira da Unita em Cahonde

Sobas a remover a bandeira da Unita em Cahonde

O clima de medo instalou-se na aldeia e as autoridades governamentais ainda não puderam impor a ordem e a tranquilidade públicas, referiu outra fonte na localidade.

Dois processos-crime foram abertos pelo Serviço Provincial de Investigação Criminal de Malanje.

Um dos processos é contra militantes da Unita por ofensas corporais e outro contra aldeãos que terão destruído casas de militantes do partido do galo negro.

Tudo começou com a remoção de símbolos da UNITA que depois, segundo as autoridades, teriam agredido os alegados responsáveis.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG