Links de Acesso

SINPROF diz que governador mente

  • Redacção VOA

Esola debaixo da arvore na Lunda norte (Foto Coque Mukuta)

Esola debaixo da arvore na Lunda norte (Foto Coque Mukuta)

Representante sindical acusa governador da Lunda Norte de "puras mentiras" sobre a greve dos professores

São “puras mentiras” as acusações de que a greve dos professores da Lunda Norte esteja a ser fomentada pela oposição partidária e que algumas das revindicações não são da sua competência, disse um representante sindical.




José Abreu Tambatamba, do Sindicato Nacional dos Professores, (SINPROF) reagia a acusações do governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, disse que a UNITA, CASA CE e PRS estavam por detrás da greve e que exigências do sindicato para aprovarem a nomeação de directores não fazem parte da sua competência.

“Isto são puras mentiras,” disse Tambatamba para quem sendo o sindicato “um parceiro do governo “ tem o dever de “opinar na nomeação de directores” para garantir a sua qualidade.

O sindicato, disse, quer garantir que os directores têm “qualidades profissionais, que conhecem a pedagogia, a didáctica”.

“ São esses que devem ser nomeados directores,” acrescentou afirmando que directores sem os necessários requisitos estão a ser nomeados para posições de directoria de escolas.

Interrogado sobre declarações do governador que tinham sido já aprovados os fundos para o pagamento de subsídios em atraso, o sindicalista disse que nesse caso o governo deve convocar os representantes dos professores para os informar disso e para se acertar no método de entrega dos mesmos.

José Abreu Tambatamba insurgiu-se contra o facto das autoridades terem suspenso o pagamento de salários de sindicalistas e de ao mesmo tempo terem reduzido o pagamento de salários de professores em greve.

“Isto é uma greve lícita, não é ilícita,” disse.

Quanto ás acusações de envolvimento de partidos políticos da oposição na greve, José Abreu Tambatamba disse que os professores não fazem distinções partidárias e isso inclui membros do MPLA.

“Para nós não há professores da UNITA, FNLA, CASA CE, PRS e MPLA,” disse.
“Somos professores que trabalhamos para a formação, instrução, educação dos quadros para o bem do governo e para o bem do estado,” disse.

“A alegação de que o Dr. Isaías Samakuva está a interferir na greve dos professores é uma pura mentira,” acrescentou.

A greve dura há quase dois meses
XS
SM
MD
LG