Links de Acesso

Sindicatos da educação dão ultimato ao Presidente angolano

  • Manuel José

Carlinhos Zassala defende acção conjunta dos sindicatos

Carta entregue na Presidência estipula o fim do mês como limite para respostas do Governo

A plataforma dos três sindicatos da educação integrada pelo SINPES, do Ensino Superior, o SINPROF e o SENPTENU, do ensino não universitário e trabalhadores não docentes, decidiu alargar o prazo para que a entidade patronal resolva os problemas que afligem os professores angolanos.

Os três sindicatos entregaram na quarta-feira, 8, uma carta ao Presidente da República na qual dizem que se José Eduardo dos Santos não se pronunciar favoravelmente, no mês de Abril poderá ocorrer a primeira paralisação de todo o sistema de educação em Angola.

O porta-voz da plataforma dos três sindicatos avisa que se até o final deste mês não houver um pronunciamento favorável aos professores, estes não terão outra saída se não decretar greve geral em todo sistema de educação no país.

Carlinhos Zassala diz que doravante os sindicatos da educacão só vão actuar em plataforma.

“Os problemas da educacão começam no ensino primário e vão até ao ensino superior, por isso se a decisão for unânime então em Abril pára todo sistema de educacão no país”, garantiu Zassala.

De recordar que o PR exonerou esta semana o titular da pasta do Ensino Superior, Adão do Nascimento, tendo ministério passaado a ser coordenado por uma comissão interina encabeçada pelo secretario de Estado para o Ensino Superior.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG