Links de Acesso

Santuário da Cangandala promove turismo da Palanca Negra

  • Isaías Soares

Palanca Negra Gigante no santuário em Cangandala 2014

Palanca Negra Gigante no santuário em Cangandala 2014

Empresários podem investir de projectos para a divulgação da imagem da palanca

A administradora municipal de Cangandala, Rosa André Lourenço disse que a palanca negra gigante poderá ser admirada no futuro por turistas nacionais e estrangeiros no seu habitat.

A responsável afirmou ser necessário o empenho da administração local e do empresariado privado nacional e estrangeiro para a promoção do turismo no Parque Nacional da Cangandala.

“Se concluirmos este projecto estamos agora tentar estender contratações e até convidar alguns, e aproveito a oportunidade de convidar alguns empresários que têm vontade de investirem e fazerem projectos turísticos”, apelou, defendendo que “nós gostaríamos de a pós a conclusão daquilo que é o trabalho da terraplanagem, acomodação do tráfego trabalhar com o Ministério do Ambiente no sentido, então, de se elaborar um guia turístico para permitir que o cidadão, quer nacional ou estrangeiro possa visitar o parque e aí encontrar os serviços todos necessários.

Administradora Municipal de Cangandala, Rosa André Lourenço

Administradora Municipal de Cangandala, Rosa André Lourenço

No local “encontrar os serviços hoteleiros para permitir visitar o santuário, ver o animal e deixar receitas para o município de Cangandala”, justificou.

Rosa André Lourenço, número um da Administração Municipal de Cangandala que dista a 28 quilómetros a sudeste da cidade de Malanje.

No santuário do Parque nacional da Cangandala contabilizava-se até Novembro último 37 unidades da palanca negra gigante, enquanto estudos em curso na Reserva Integral do Luando, município do Luquembo, apontam para 80 exemplares.

Durante a quadra festiva caçadores furtivos tentaram romper parte do cerco do parque nacional da Cangandala, mas foram dispersados pelos fiscais da instituição que ocupa uma extensão de 630 quilómetros quadrados.

Rosa André Lourenço garantiu que a caça nas imediações do parque nacional está controlada e a espécie não está ameaçada depois o abate de um exemplar da palanca vermelha no ano passado.

“A partir do momento que se constatou o abate de uma cria, nós tivemos que reforçar o asseguramento do parque, o Ministério do Ambiente está neste preciso momento a fazer uma vedação até com um certo alongamento que vai atingir a comuna do Culamagia e Bembo”, disse, confirmando o aumento do número de fiscais do parque.

Administradora municipal de Cangandala, Rosa André Loureço está a frente de uma população estimada em 37 mil habitantes, distribuída por uma área de 6.301 quilómetros quadrados que compreendem as comunas de Cangandala, Culamagia, Karibo e Bembo.

XS
SM
MD
LG