Links de Acesso

Romney mudará visão americana de África, diz o seu conselheiro para questões africanas


Tibor Nagy, presidente do comité para política em Africa de Mitt Romney

Tibor Nagy, presidente do comité para política em Africa de Mitt Romney

Política para África deve vêr o continente como uma oportunidade, diz Tibor Nagy

Os Estados Unidos têm que mudar o modo como vêm África, disse Tibor Nagy, conselheiro para questões africanas do candidato presidencial republicano Mitt Romney.



Numa entrevista á Voz da América Nay disse que há muitas décadas que os Estados Unidos vêm África como um problema, “um grande continente de crises atrás de crises”.

“Chegou a altura de mudar totalmente o paradigma e ver África como uma oportunidade,” disse.
“Há zonas de crise em África mas não é um continente de crise,” acrescentou

O conselheiro de Romney para questões africanas descreveu dirigentes como Robert Mugabe do Zimbabwe e Theodore Obiang da Guiné Equatorial como “dinossauros que vão desaparecer”.

África, disse ele, é “um lugar maravilhoso, com jovens dinâmicos á procura de oportunidades”.

Nagy disse que a sua experiência no continente indica que os países africanos gostam de ter negócios com companhias americanas e que o continente precisa de investimentos directos.

Infelizmente, disse ele, “durante a administração Obama não houve tratados bilaterais de investimento em África”.
Nagy abordou também a questão da crescente presença empresarial da China no continente africano

“O que é triste é que a administração Obama não olhou de um modo sistemático para a questão da presença da China em África,” diss ele.

“A administração Obama não decidiu se a China é um concorrente, se é um problema grande ou pequeno ou se há a possibilidade de cooperação pontual. Isso é uma questão em que um governo de Mitt Romney iria certamente analisar de modo diferente,” acrescentou

Nagy alertou também para os perigos de organizações de carácter violento a nível nacional, como o Boko haram da Nigéria, se transformarem num perigo regional, mas acrescentou que qualquer decisão sobre considerar o Boko Haram como uma organização terrorista terá que ser decidida pelo próprio Romney se este se tornar presidente.

Tibor Nagy foi embaixador dos Estados Unidos na Etiópia entre 1999 e 2002 e embaixador na Guiné Conacri de 1996 a 1999. Ocupou também cargos diplomáticos de alto nível na Zâmbia, Seychelles, Togo, Camarões e Nigéria.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG