Links de Acesso

Republicanos querem investigar doação de empresa angolana a governador

  • Redacção VOA

Empresa aparentemente ligada à Sonangol enviou cheque de 25.000 dólares a organização de apoio a governador da Vírginia

O Partido Republicano dos Estados Unidos quer uma investigação a uma doação feita a uma organização de apoio ao governador da Virgínia por uma companhia angolana, cujas actividades são misteriosas, mas que parece estar ligada à Sonangol.

Na semana passada, o Comité de Acção Política Bem Comum anunciou que ia devolver um cheque de 25.000 dólares que havia recebido de uma companhia sediada em Houston, a Glinn USA Investments.

O dinheiro foi devolvido depois da Glinn USA se ter recusado a assinar um documento a confirmar que a doação respeitava todas as leis federais e do Estado da Virgínia, disse o director daquele comité.

Os comités de acção politica são organizações que existem para angariar fundos e fazer campanha em benefício de um candidato, mas a doação de fundos está regulamentada por uma série de leis.

Neste caso, este comité usa fundos para apoiar o governador da Virgínia Terry McAuliffe

As dúvidas sobre a doação surgiram depois da agência de notícias Associated Press ter levantado a possibilidade de ligações da Glinn Investments à companhia estatal angolana Sonangol.

Em Houstom, a Glinn e a Sonangol têm a mesma morada e o mesmo agente e advogado, Gary Dugger.

Dugger disse ao jornal Washington Post que as duas companhias não estão relacionadas.

A empresa aluga um escritório de um edifício onde opera a Sonangol e a morada regista da Glinn USA é o seu escritório embora, disse o advogado, eles não operem a partir desse escritório.

Brian Zuzenak, director do comité de acção de apoio ao governador, disse que o cheque foi devolvido depois da Glinn USA se ter recusado a assinar um documento certificando que a doação respeitava todas os requisitos legais.

O advogado Dugger afirma que a companhia tinha decidido pedir ela própria a devolução do cheque depois da terem recebido uma chamada da Associated Press por não querer envolver-se em confusões. O dinheiro não veio do exterior e a Glinn é uma empresa legitima, disse o advogado.

Uma busca na internet revela que Sebastião Gaspar Martins aparece como sendo o presidente, enquanto o director é Gianni Martins.

A VOA soube que Gianni Martins é filho de Sebastião Martins, que foi até ao ano passado membro do conselho de administração da Sonangol e presidente da Sonangol Pesquisa e Produção, uma subsidiária da Sonangol.

Embora o nome da companhia registada no Texas tenha a designação de investimentos, desconhece-se exacamente quais as actividades da Glinn Investments.

Entidades ligadas ao Partido Republicano pedem agora que uma auditoria a todas as doações feitas ao comité de acção política do governador da Virgínia.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG