Links de Acesso

Renamo acusa exército de atacar dois dos seus quartéis


António Muchanga

António Muchanga

António Muchanga diz que houve mortos e feridos.

A Renamo denunciou nesta terça-feira, 16, ter sofrido dois ataques militares por parte do exército na semana passada, tendo um deles provocado mortos e feridos.

A revelação foi feita em Maputo pelo porta-voz daquele partido, António Muchanga, quem advertiu que a paciência está a esgotar-se.

Segundo Muchanga, militares em dois camiões e num veículo todo-terreno eqipa com uma metralhadora atacaram no domingo, 14, o quartel da Renamo no posto administrativo de Zobué, distrito de Moatize, na província de Tete.

"Condenamos a agressão que as forças da Renamo estão a sofrer em Tete, perpetrada pelas forças de intervenção rápida e FADM", disse Muchanga na conferência de imprensa, sem precisar o número de vítimas.

Ainda de acordo com o porta-voz da Renamo, na quinta-feira o exército atacou também um quartel do partido em Funhalouro, província de Inhambane, mas sem provocar baixas.

"Os guerrilheiros da Renamo conseguiram escapulir-se", ao contrário do que se passou no domingo, disse António Muchanga.

"A paciência dos comandantes da Renamo está a esgotar-se", advertiu Muchanga, referindo que Afonso Dhlakama pede contenção às forças do Governo para que a paz seja uma realidade no país.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG