Links de Acesso

Reacções à morte de Mandela: Eduardo dos Santos "profundamente consternado"


Schoolchildren hold candles and portraits of former South African President Nelson Mandela during a prayer ceremony at a school in the western Indian city of Ahmedabad, Dec. 6, 2013.

Schoolchildren hold candles and portraits of former South African President Nelson Mandela during a prayer ceremony at a school in the western Indian city of Ahmedabad, Dec. 6, 2013.

José Eduardo dos Santos referiu que Nelson Mandela inaugurou "uma era de liberdade, igualdade e convivência democrática na República da África do Sul".

Presidente angolano José Eduardo dos Santos "profundamente consternado"
O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, manifestou hoje em Luanda a sua "profunda consternação" pela morte de Nelson Mandela, o qual, considera, deixa um "legado de tolerância, justiça e sentido histórico" para as gerações vindouras.Em nota de imprensa da Casa Civil da presidência angolana, José Eduardo dos Santos referiu que Nelson Mandela inaugurou "uma era de liberdade, igualdade e convivência democrática na República da África do Sul".
José Eduardo dos Santos realçou igualmente a figura "incansável e abnegado lutador contra o regime do apartheid, cujo legado de tolerância, justiça e sentido histórico, constituem um exemplo e uma referência incontornável para as gerações vindouras".
Armando Guebuza diz que morreu símbolo-mor da luta pela dignidade.
O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, manifestou hoje "consternação e dor" pela morte de Nelson Mandela, considerando-o "um símbolo-mor da luta contra o 'apartheid' e pela dignidade do povo sul-africano".
Numa declaração à imprensa, o chefe de Estado moçambicano manifestou consternação e dor com a morte de Nelson Mandela, qualificando-o como "um símbolo-mor da luta contra o [regime de segregação racial] 'apartheid' e pela dignidade do povo sul-africano.
Foi a morte de um símbolo para África
O primeiro-ministro de Cabo Verde lamentou hoje a morte de Nelson Mandela, considerando-o um "símbolo para África" e uma "referência" para o continente africano e para a humanidade.
José Maria Neves, que se encontra em Paris para participar na Cimeira França/África, deixou o comentário no seu Facebook e considerou também que o primeiro presidente negro da África do Sul "mostrou os caminhos da liberdade, da tolerância e da dignidade".
"É um exemplo para os líderes africanos, pelo seu desapego ao poder, pela sua capacidade de diálogo, pelo seu entranhado amor a África", sustentou o chefe do Governo cabo-verdiano.
Homenagem do Papa pela "construção de uma nova África do Sul"
O Papa prestou hoje homenagem ao ícone anti-apartheid Nelson Mandela, que morreu na quinta-feira, por ter "construído uma nova África do Sul", esperando que o exemplo inspire o país a lutar pela "justiça e bem comum".
Num telegrama enviado ao Presidente sul-africano, Jacob Zuma, Francisco elogiou o "empenho inabalável mostrado por Nelson Mandela na defesa da dignidade humana para todos os cidadãos da nação e na construção de uma nova África do Sul com base na não-violência, na reconciliação e na verdade".

Um unificador para Desmond Tutu
"Ao longo dos últimos 24 anos [depois da sua libertação], Madiba ensinou-nos a sermos unidos e a acreditar em nós mesmos e nos outros. Ele foi um unificador a partir do momento saiu da prisão", disse o Arcebispo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG