Links de Acesso

Rafael Marques e generais chegam a "acordo tácito"

  • Alvaro Ludgero Andrade
  • Coque Mukuta

Rafael Marques de Morais

Rafael Marques de Morais

Generais predispõem-se a ajudar Marques no seu activismo a favor do respeito pelos direitos humanos nas Lundas.

O activista e jornalista Rafael Marques, autor do livro Diamantes de Sangue, chegou a um “acordo tácito” nesta Quinta-feira, 21, com os generais que o levaram a tribunal para não republicar a obra que denunciou supostas violações dos direitos humanos nas Lundas por parte de empresas pertencentes a altos membros do regime angolano.

A audiência no Tribunal Provincial de Luanda decorreu a porta fechada, sem a presença de jornalistas ou activistas, mas o advogado de Rafael Marques, David Mendes, confirmou à VOA o “acordo tácito” entre as partes, depois de Marques ter explicado o porquê de não ter ouvido os generais antes da publicação do livro”.

General Manuel Vieira Dias - Kopelipa

General Manuel Vieira Dias - Kopelipa

Segundo Mendes, o activista e jornalista disse ter contactado algumas pessoas que deveriam ter feito chegar aos generais em causa as suas preocupações, o que não aconteceu. “Concluiu-se que se eles tivessem tido acesso ao pedido do Rafael, eles o teriam auxiliado no esclarecimento de algumas coisas e na tomada de algumas medidas”, explicou o advogado.

Por seu turno, o advogado Fernando de Oliveira, que representa uma das companhias queixosas contra Rafael Marques, ITM, explicou o acordo alcançado e o que passou no tribunal.

Entretanto, o arguido Rafael Marques manifestou-se satisfeito com o acordo e reiterou que irá continuar o seu activismo nas Lundas e que os generais predispuseram-se a colaborar de modo “a evitar quaisquer violações de direitos humanos”.

Na Segunda-feira, 25 de Maio, serão feitas as alegações finais e lida a sentença que deve passar pelo arquivamento do processo.

O advogado considera que o desfecho desta caso “inaugura um novo precedente em Angola que permite às partes chegaram a acordos sem terem de recorrer à barra dos tribunais”.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG