Links de Acesso

Quem está a fazer a "revolução" na Venezuela?

  • Mayra de Lassalette

Os protestos no país que foi liderado por Hugo Chávez começaram a 4 de Fevereiro deste ano.

O protesto de estudantes a 4 de Fevereiro deu início a manifestações sem precedentes, com pelo menos 15 mortes a registar, dezenas de feridos e uma incerteza social e económica.

As manifestações que começaram em Caracas, capital da Venezuela alastraram por todo o país.

Vamos conhecer algumas das peças-chave nesta "revolução".

Leopoldo Lopez

Leopoldo Lopez

Leopoldo Lopez

Tem 42 anos, é descrito como "arrogante, poderoso e vingativo", pelos seus ex-aliados na oposição.
Estudou em Harvard, Estados Unidos, e foi Presidente da Câmara de Chacao, uma das cidades mais desenvolvidas do distrito de Caracas.

Tentou o golpe de Estado contra Chávez, enquanto Presidente da Câmara. Em 2006, foi banido por Hugo Chávez, desde então não pode candidatar-se a qualquer cargo público.

É descendente de Simón Bolívar, revolucionário, libertador, que lutou pela independência da Bolívia, Venezuela, Colômbia, Equador, Panamá, Peru.

Leopoldo Lopez foi detido a 18 de Fevereiro sob acusação de incitar aos protestos violentos contra o Governo de Nicolás Maduro (actual Presidente da Venezuela).


Estudantes manifestantes

O Governo chama-os "fascistas", influenciados pelo imperialismo americano.



Analistas acreditam que são apenas jovens estudantes e trabalhadores de classe média, descontentes com a economia do país.

Vieram à rua de forma pacífica pela primeira vez para se manifestarem contra a violação de uma colega em San Cristobal.

O Governo considerou aquela manifestação ilegal e a partir daí a situação agravou-se.

Diosdado Cabello

Diosdado Cabello

Diosdado Cabello

Presidente da Assembleia Nacional e figura forte entre a elite militar.

Acreditava-se que iria usar o seu poder e influência para assumir a presidência após a morte de Chávez, mas Maduro foi mais rápido e astuto.

Apesar da rivalidade com Maduro, o interesse de ambos em manter os Chavistas no poder vem em primeiro lugar.


Rafael Ramirez

Rafael Ramirez

Rafael Ramirez

Ministro dos Petróleos e vice-Presidente para a Economia, é um dos membros mais poderosos do clã Maduro.

Tem o dever de gerir a "fraca" moeda venezuelana, o bolivar venezuelano.

Foi ele quem decidiu que as empresas privadas podem trocar bolivars por dólares americanos a um câmbio fixo. O objectivo era tirar as notas americanas no mercado negro e acalmar a inflação.


Henrique Capriles

Henrique Capriles

Henrique Capriles

Foi candidato da oposição nas duas últimas eleições presidenciais. Perdeu por 12 pontos para Chávez em 2012 e por dois pontos apenas para as "eleições especiais" criadas por Maduro, em Março de 2013.

Capriles é governador da província de Miranda, umas das mais desenvolvidas da Venezuela.

Aceitou participar numa conferência pela paz mas assegurou que não vai lá para melhorar a imagem de Nicolás Maduro.


Nicolás Maduro

Maduro foi como que o escolhido de Chávez, no leito da sua morte. É assim que o actual líder da Venezuela gosta de ser visto.

Nicolás Maduro

Nicolás Maduro

Assumiu a presidência a 5 de Março de 2013, mas desafiou o seu opositor henrique Capriles numa eleição especial 40 dias depois.

E em menos de um ano do seu mandato o país está numa situação considerada periclitante.

Apesar da sua ligação forte com "El Presidente" (Chávez), Maduro não tem o pulso político e astúcia do seu antecessor.

O presidente da Venezuela por norma faz-se acompanhar de uma foto de Hugo Chávez para demonstrar essa força.


Transição Chávez para Maduro - as relações com o mundo


Hugo Chávez

Hugo Chávez

Hugo Chávez

Morreu a 5 de Março de 2013 e quase um ano depois a sua imagem ainda tem a força que outros, como Maduro, não têm.

Figuras da política venezuelana como Elias Jaua, vice-Presidente na Era Chávez, defendem que "Chavismo sem Chávez não existe".

As manifestações que têm agitado a Venezuela parecem ser prova disso.

XS
SM
MD
LG