Links de Acesso

Quatro activistas angolanos em risco de não continuar os estudos superiores

  • Redacção VOA

Arante Kivuvu

Arante Kivuvu

Tribunal Provincial de Luanda não respondeu ainda aos pedidos de autorização.

Quatro dos 15 activistas em prisão domiciliária e que estão a ser julgados em Luanda pelos crimes de rebelião e de preparar um golpe de Estado pediram autorização ao Tribunal Provincial de Luanda para continuar os estudos superiores mas até agora não houve qualquer resposta das autoridades.

Hitler Jessia Chiconda “Samussuku”, Arante Kivuvu, Benedito Jeremias e Sedrick de Carvalho correm o risco de não puderem matricular-se a tempo e de, mesmo condenados, ficaram de fora da escola neste ano lectivo.

Num documento enviado à VOA, lê-se que Hitler Jessia Chiconda “Samussuku” perdeu o período de confirmação de matrícula na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto por estar à espera que o Serviço de Investigação Criminal (SIC) entregue o seu cartão de estudante e bilhete de identidade.

Por seu lado, Arante Kivuvu corre o risco de perder a bolsa de estudos e não continuar na Faculdade de Filosofia da UAN, enquanto Benedito espera poder realizar exames extraordinários do último ano do ciências Políticas.

Sedrick de Carvalho também aguarda pela autorização do tribunal para concluir o curso de direito na Jean Piaget, depois de ter enviado vários pedidos que continuam sem resposta.

XS
SM
MD
LG