Links de Acesso

Publicitário brasileiro do MPLA e do PT com ordem de prisão

  • Redacção VOA

Polícia Federal brasileiro investiga se João Santana terá sido pago através de paraísos fiscais.

O publicitário brasileiro João Santana, que trabalhou nas campanhas de reeleição do antigo Presidente brasileiro Lula da Silva, da Presidente Dilma Roussef e do Presidente angolano José Eduardo dos Santos, recebeu uma ordem de prisão nesta segunda-feira, 22.

A Polícia Federal brasileira tem mandados também contra a empresa Odebrecht, considerada uma dos pivots da operação Lava Jato.

Entretanto, João Santana não foi ainda detido por se encontrar fora do Brasil.

João Santana

João Santana

A Polícia Federal acredita que parte ou todo o pagamento pelo trabalho de Santana e da sua empresa Pólis em Angola poderá ter sido feito através de paraísos fiscais.

Na altura, informações oficiais revelaram que a campanha de José Eduardo dos Santos e do MPLA custou 20 milhões de dólares

Dados tornados públicos no início da operação Lava Jato pela polícia indicavam que o publicitário estava a ser investigado por ter alegadamente recebido 1,75 milhões de dólares no câmbio actual em paraísos fiscais.

A empresa Odebrecht, cujo presidente Marcelo Odebrecht está detido, terá feito os pagamentos, de acordo com os investigadores.

"O foco das investigações desta fase é o cumprimento de medidas cautelares... relacionadas a três grupos: um grupo empresarial responsável por pagamento de vantagens ilícitas, um operador de luvas no âmbito da Petrobras e um grupo recebedor, cuja participação fora confirmada com o recebimento de valores já identificados no exterior em valores que ultrapassam sete milhões de dólares", disse a Polícia Federal em nota enviada à imprensa nesta segunda-feira,

A TV Globo mostrou imagens de carros e agentes da Polícia Federal no prédio da Odebrecht em São Paulo.

A nova fase da Lava Jato foi denominada "Acarajé", em referência ao termo utilizado por alguns investigados para denominar dinheiro em espécie, de acordo com os investigadores.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG