Links de Acesso

PRS pede mudança da mesa do Parlamento guineense

  • Lassana Casamá

Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau

Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau

PAIGC refuta e diz ser totalmente ilegal.

O PRS, principal partido da oposição na Guiné-Bissau, vai exigir a substituição da mesa da Assembleia Nacional Popular (ANP) por considerar que violou a Constituição da República e o regimento do Parlamento ao aceitar o adiamento do debate sobre o Programa do Governo para dia 21 a pedido do PAICG, no poder.

Para o PRS, a legislação impõe que o segundo debate sobre o Programa do Governo aconteça 15 dias depois do primeiro, no qual o documento não foi aprovado pela maior dos deputados.

Com o chumbo do Programa no passado dia 23 de Dezembro, "o prazo limite seria hoje, 7", garante Florentino Mendes Pereira.

A posição do PRS foi reforçada hoje pelos seus líderes no Parlamento, segundo os quais, o presidente Cassamá tem violado as leis que regulamentam o funcionamento do hemiciclo.

O secretário-geral Florentino Mendes Pereira e que alimenta o sentimento da rejeição ao Executivo do PAIGC, liderado por Carlos Correia, por parte de alguns sectores políticos, apresentou os argumentos que sustentam a posição do seu partido.

Um desses arguemntos é o facto de a mesa da ANP ter convidado os deputados para no próximo dia 21, em sessão extraordinária, discutir e proceder a consequente votação do Programa do Governo, contrariamente à defesa do PRS.

Um procedimento que para os renovadores sociais é inconstitucional.

Face a esta situação, e dia antes do fim desta primeira sessão ordinária da presente legislatura, o PRS pondera a possibilidade de intentar uma ação política contra a mesa da ANP, presidida por Cipriano Cassamá, visando a sua substituição, ressalvou Florentino Mendes Pereira.

Mas, para o PAIGC, na voz do seu líder de bancada parlamentar, Califa Seide, o PRS não tem razão, sobretudo quando fala na hipotética substituição do Ppresidente da ANP.

Refira-se que continuam negociações nos bastidores entre líderes parlamentares dos dois partidos maioritários no parlamento, neste caso o PAIGC e o PRS.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG