Links de Acesso

PRS adere a manifestação nacional da UNITA

  • Manuel José

Eduardo Kuangana, líder do PRS

Eduardo Kuangana, líder do PRS

Dos Santos é "engenheiro da morte", diz dirigente do PRS; UNITA reafirma natureza pacífica das manifestações. Bié proíbe manfiestação; activistas da UNITA presos na Lunda Norte

O Partido da Renovação Social declarou o seu apoio à manifestação convocada pela UNITA á escala nacional para protestar contra o desaparecimento dos activistas Isaías Cassule e Alves Kamulingue.




O secretário-geral em exercício do PRS apelou a todos militantes e cidadãos em geral a tomarem parte da manifestação do dia 23.

"O PRS apela a todos os militantes e cidadãos a participarem individualmente a manifestação convocada pela UNITA, para dia 23," disse Sapalo António.

O dirigente do Partido de Renovação Social diz comungar da ideia de que o responsável principal pelas mortes de Cassule e Kamulingue é o chefe do executivo angolano.

"Aquele que foi efusivamente aclamado por arquitecto da paz revela agora o seu outro lado: O de engenheiro da morte," disse.

O secretário nacional da CASA-CE que preferiu emitir apenas a sua opinião como cidadão, sem vincular a sua formação política, dizendo que a manifestação convocada pela UNITA ser legitima e aceitável.

"Entendo, como cidadão, que a UNITA est'a a exercer um direito constitucionalmente consagrado 'e legitima a sua posição e 'e legal e humanamente aceitável," disse Leonel Gomes

Sobre os detalhes da manifestação, Vitorino Nhany o secretário geral da UNITA chamou os jornalistas para dizer o seguinte sobre a manifestação.

"Consiste em exprimirmos a nossa indignação pelos assassinatos de Isaías Cassule e Alves Kamulingue, a manifestação terá a duração de um dia começa as 9 horas defronte ao cemitério da Santa Ana descai para o largo da Mutamba onde haverá um acto político em que será lido o conteúdo da nossa indignação," disse.

Segundo Nhany a manifestação é nacional e internacional, todas as províncias terão os seus actos com excepção do Bié que teve o veto do Governador provincial.
"A direcção da província do Bié negou a própria constituição," disse

Na província da Lunda-Norte três dos elementos da juventude da UNITA detidos pela policia por distribuir panfletos sobre a manifestação.

Em termos administrativos a UNITA garante que já escreveram a comunicar ao governo de Luanda e endereçaram igualmente missivas a outras entidades estatais.

"Escrevemos para o ministro do interior que felizmente vai receber o nosso vice presidente, escrevemos ao comandante geral da policia e recebemos apoio destas entidades," disse Nhany que friso a natureza pacifica da programada manifestação.

"A luta é democrática pelo que ninguém vai fazer uso de armas isso está ultrapassado,” disse o dirigente da UNITAS para quem falar de violência é algo para “para seres irracionais porque em democracia não se pode mais pensar em meios bélicos"
XS
SM
MD
LG