Links de Acesso

Professores universitários angolanos querem mais dinheiro

  • Manuel José

Universidade Agostinho Neto

Universidade Agostinho Neto

Docente diz que Governo finge que paga, professores fingem que ensinam e alunos são os prejudicados.

Os professores da Universidade Agostinho Neto apelaram ao Governo para melhorar as suas condições, algo que consideram como condição essencial para se garantir uma melhoria no ensino superior.

O professor Carlinhos Zassala disse que os aumentos salariais são o primeiro problema que o Governo deve resolver. “Com professores desmotivados eles fingem que dão aulas, a entidade patronal finge que paga bem e os mais prejudicados serão os estudantes", explicou.

Para o psicólogo social, urge a necessidade de se estabelecer o ponto de partida.

"Penso que a grande preocupação nossa neste momento é definirmos os indicadores que nos levem à qualidade do ensino superior para que entremos no ranking das 100 melhores universidades de África", afirmou.

Outro professor da UAN Ovídio Pahula sublinhou o mesmo ponto:“Nós temos professores que apanham boleia dos próprios estudantes, assim querem qualidade no ensino, porque não pagam bem os professores? São questões elementares", reiterou.

E para que este problema seja solucionado é preciso ouvir os principais actores do ensino em Angola, na visão do professor universitário Jaka Jamba.

“É necessário uma base de recolha das principais preocupações", acrescentou.

Os professores universitários deverão decidir no final do mês se vão ou não entrar em greve.

XS
SM
MD
LG