Links de Acesso

Professores do ensino superior angolano ameaçam com greve

  • Manuel José

Universidade Agostinho Neto - Luanda, Angola

Universidade Agostinho Neto - Luanda, Angola

Sindicato exige actualização do salário-base dos professores do ensino superior.

As aulas no ensino superior público em Angola podem paralisar ainda este mês, de acordo com o Sindicato de Professores do Ensino Superior (SINPES). A decisão será tomada no dia 27, quando decidirem sobre o regresso ou não à greve.

Até ao momento o sindicato não conseguiu obter da entidade patronal uma resposta satisfatória à sua principal reivindicação que é o aumento do salário base dos professores do ensino superior.

Caso o Ministério do Ensino Superior mantenha a actual postura de menosprezar as reivindicações do SINPES, a saída poderá ser o regresso à greve interpolada desde Novembro do ano passado, diz o secretário-geral do sindicato Eduardo Peres Alberto.

Um dos motivos fortes, segundo Eduardo Peres Alberto, é a questão do salário: "A nova tabela salarial do Ministério do Ensino Superior fala de acréscimo de subsídios mas o que nós reivindicamos é o aumento do salário-base do ensino superior e não o subsidio, porque este perde a sua validade com a passagem à reforma."

Outra reclamação daqueles docentes prende-se com o facto do ministério de tutela estar neste momento numa operação de consultas à sociedade civil em que coloca o SINPES na mesma condição “o que não é correcto já que o SINPES é parceiro do ministério”, diz Alberto.

O SINPES alerta ainda o Governo para a questão da qualidade do ensino nas universidades, afectada pela má remuneração dos docentes.

XS
SM
MD
LG