Links de Acesso

Professor moçambicano sonha estudar no estrangeiro e conhecer outras culturas

  • Danielle Stescki

Espaço do Ouvinte

Espaço do Ouvinte

Descobriu a VOA através de um voluntário americano que trabalhava em Moçambique para a agência Corpo da Paz.

Isac Pedro, de 27 anos, é professor de inglês para estudantes da 8ª à 10ª classe em uma escola privada na província de Manica, em Moçambique.

Começou a ouvir a VOA em 2006 quando dividiu a casa em que morava com um voluntário americano que trabalhava para a agência dos EUA Corpo da Paz na região.

O voluntário ouvia a transmissão da VOA e falou para Pedro sobre a emissão em português. Desde então, o moçambicano não parou mais de ouvir.

No dia 15 de Outubro, houve eleições gerais em Moçambique, e Isac Pedro diz que o resultado não reflectiu a vontade do povo. “Creio que as eleições tiveram muitas irregularidades”, considera.

De acordo com Pedro, em Chimoio várias pessoas foram presas, inclusive delegados de partidos da oposição. Ele afirmou que o "enchimento" das urnas foi resultado das fraudes.

Para o professor de inglês, a eleição de Filipe Nyusi para presidente foi boa, mas acrescenta que “deveria de haver um pouco de justiça do outro lado".

O partido da Frelimo está no poder desde a independência de Moçambique em 1975. “Creio que todo mundo queria apostar no resultado da mudança", comenta.

Além de dar aulas para jovens, Pedro também é estudante de História na Universidade Católica de Moçambique, mas preferia Ciências Políticas.

Ele acredita que as novas descobertas dos recursos minerais em Moçambique devem alavancar os empregos no país, principalmente para os jovens.

Isac Pedro aconselha os jovens a serem empreendedores e a criarem o próprio emprego.

O professor de inglês lembra que a melhor maneira de combater o desemprego é investir na educação.

O sonho de Pedro é de um dia poder estudar no estrangeiro e aprender sobre outras culturas.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG