Links de Acesso

"Processo eleitoral em Moçambique está viciado", acusa pesquisador da CIP

  • Alvaro Ludgero Andrade

Nhamire Borges, do Centro de Integridade Pública, acusa os observadores internacionais de terem prestado um mau serviço ao país.

O pesquisador do Centro de Integridade Pública(CIP) Nhamire Borges acusou o Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) de ter falhado em toda a linha na organização das eleições do passado 15 de Outubro em Moçambique.

Além da desorganização total, Borges denuncia o facto de as empresas seleccionadas para trabalhar na produção dos materiais usados nas eleições pertencerem a pessoas da Frelimo e que só assim se justifica o facto de haver editais nas mãos de eleitores.

Em entrevista à VOA, na rubrica Agenda Africana, Nhamire Borges foi também muito crítico em relação aos observadores internacionais que "prestaram um mau serviço a Moçambique".

Para ele, os observadores apenas falaram do dia das eleições, quando "o problema está na organização e na contagem dos votos".

Para o pesquisador da CIP, os observadores "deviam ficar calados".

Oiça o programa:

XS
SM
MD
LG