Links de Acesso

Presidente nigeriano visita Guiné-Bissau e pede fim de sanções

  • Lassana Casamá

Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan

Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan

Reuniu-se com todos os titulares dos órgãos públicos de transição, políticos e militares, discursou na Assembleia Nacional e reuniu-se com a comunidade nigeriana.

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan visitou a Guiné-Bissau e apelou à União Africana e União Europeia a levantarem as sanções contra o país.


Com um impressionante dispositivo de segurança, evolvendo militares e polícias guineenses e homens da força estacionária da CEDEAO no país, o chefe de estado nigeriano pediu à comunidade internacional para continuar a ajudar as autoridades de transição de modo a que o país consiga voltar à normalidade democrática.

O presidente da Nigéria, recebido calorosamente, não só pela comunidade nigeriana residente no país, com a qual manteve uma reunião, mas também pelos guineenses que foram ao aeroporto para saudar Goodluck Jonathan.

O líder nigeriano que discursou na Assembleia Nacional da Guiné-Bissau. Discurso esse interrompido e todo ele marcado por constantes cortes da energia eléctrica. O chefe de estado nigeriano, que acabaria por deixar o parlamento às escuras, apelou à União Africana e Europeia a levantarem sanções contra a Guiné-Bissau, por forma a aliviar o que classificou de sofrimento do povo guineense.

Da sede o Parlamento, o Presidente Nigeriano seguiu para o palácio presidencial, onde reuniu com o seu homologo guineense, Manuel Serifo Nhamandjo, reunião a qual culminou na assinatura de Acordo Geral de Cooperação entre Bissau e Abuja.

Da sua agenda cumprida, o presidente da Nigéria reuniu com as Forças da Defesa e Segurança no palácio presidencial. Reunião cujo conteúdo se reserva entre quatro paredes. Mas, dos factos presentes, tudo aponta que no encontro e em cima da mesa esteve o presente período de transição e o papel que deve ser exercido pelos sectores da defesa e segurança, antes, durante e logo após o acto eleitoral em perspectiva.

Um sector considerado responsável e decisivo na estabilização efectiva do país. Nigéria, um dos maiores gigantes de África, representa o poder forte da actual transição política na Guiné-Bissau com uma participação monetária mais expressiva dos fundos disponibilizados pela Comunidade dos Estados de Desenvolvimento da África Ocidental (CEDEAO). Nigéria assume actualmente um papel preponderante no presente quadro de transição e para as eleições que se avizinham, mesmo ainda sem data marcada, no total de pouco mais de 20 milhões de dólares do orçamento previsto, a Nigéria disponibilizou 6 milhões, assumindo até aqui o maior contribuinte entre os países doadores da Guiné-Bissau.

Ainda na extensão dos esforços de apoio da Nigéria à Guiné-Bissau de citar, também, que dos 63 milhões de dólares que a CEDEAO põe a disposição do país para o programa da reforma no sector da Defesa e Segurança, as autoridades nigerianas participaram com 20 milhões. São contas presentes e que tornou a Nigéria no país da África Ocidental com maior influência no presente xadrez político e diplomático da Guiné-Bissau. Enfim, a visita do Chefe de Estado da Nigéria ficou marcada com a inauguração da Rua Nigéria, no Bairro Militar, em Bissau.
XS
SM
MD
LG