Links de Acesso

Presidenciais em Cabo Verde: entre a continuidade e a ruptura

  • Redacção VOA

Eleição realiza-se este domingo, 2 de Outubro.

Os cabo-verdianos regressam às urnas neste domingo, 2 de Outubro, para a terceira eleição deste ano. Depois das legislativas em Março e das autárquicas em Setembro, agora será a vez de escolheram o Presidente da República.

O Chefe de Estado cessante, Jorge Carlos Fonseca, apoiado pelo MpD, partido que ganhou as duas eleições realizadas este ano, é favorito à sua sucessão, mas tem como adversários dois candidatos sem apoios partidários expressos: Albertino Graça, reitor da Universidade do Mindelo, e Joaquim Monteiro, antigo combatente da liberdade da Pátria e investigador agrícola.

Jorge Carlos Fonseca, candidato presidencial

Jorge Carlos Fonseca, candidato presidencial

Depois de ganhar as eleições legislativas e autárquicas de forma esmagadora, o MpD, partido no poder, garantiu todo o seu apoio ao actual Presidente da República, também por ele apoiado em 2011.As sondagens apontam uma vitória de Jorge Carlos Fonseca que, no entanto, já garantiu que votar nele “não será colocar todos os ovos no mesmo cesto”.

Apesar de hoje o líder do MpD e primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva entrar na campanha, Fonseca tem procurado apresentar um discurso de que será independente no exercício das suas funções.

“Os cabo-verdianos que dizem que dão o meu apoio, que consideram que fui um bom Presidente, sabem que sou o melhor candidato, aquele que é capaz de manter o equilíbrio, respeitar a Constituição e ouvir todas as vozes”, defendeu Fonseca.

Mais do que guardião da Constituição

Albertino Graça, candidato presidencial

Albertino Graça, candidato presidencial

Albertino Graça, reitor da Universidade do Mindelo, independente, que pretende beneficiar-se do facto de o PAICV ter dado liberdade de voto aos seus militantes depois de duas derrotas eleitorais, assume-se como opositor de Jorge Carlos Fonseca, a quem tem acusado de apenas viajar, dizer que vela pela Constituição e de falta de ética.

Graça afirma que Cabo Verde “precisa de um presidente que saia da sociedade civil e que seja mais do que simples guardião da Constituição ou que apenas represente o país no exterior”.

Defesa de Cabo Verde

Joaquim Monteiro, candidato presidencial

Joaquim Monteiro, candidato presidencial

O terceiro candidato é Joaquim Monteiro, que concorreu à Presidência em 2011, tendo conseguido apenas 1,84 por cento.

Sem qualquer base partidária nem apoio associativo, o antigo combatente pela liberdade da Praia e investigador agrícola, Jack Monteiro, como é conhecido, viaja sozinho e queixa-se inclusive de discriminação, por parte do Estado “que não lhe atribuiu qualquer protecção”.

Monteiro, no entanto, diz ser o melhor candidato, “por ser único que não está ligado a qualquer partido e que mantém o juramento feito junto de Amílcar Cabral de defender os interesses de Cabo Verde, principalmente das nossas crianças”.

A Comissão Nacional de Eleições revelou que 316.206 eleitores estão inscritos no país e 47.133 na diáspora para a eleição de domingo.

XS
SM
MD
LG