Links de Acesso

PR angolano defende resgate dos valores morais e regulação das redes sociais

  • Redacção VOA

José Eduardo dos Santos

José Eduardo dos Santos

Em mensagem de Boas Festas, José Eduardo dos Santos reconhece que se tem falado muito e feito pouco na diversificação da economia.

O Presidente angolano reconheceu nesta sexta-feira que o país enfrenta muitas dificuldades e que o ano de 2016 terá de ser enfrentado com criatividade.

Em mensagem de Boas Festas divulgada nos meios públicos de comunicação, José Eduardo dos Santos defendeu o resgate e o aperfeiçoamento dos reforços morais e pediu uma legislação para as redes sociais.

O Chefe de Estado disse ser sua preocupação maior o resgaste dos valores morais que, segundo ele, podem perder-se com as novas tecnologias.

“Temos de alterar o actual clima moral que tende de predominar nas relações sociais, sob o impacto das novas tecnologias de informação e comunicação”, reiterou o Presidente que defendeu uma legislação, o mais rapidamente possível, para as redes sociais

“As redes sociais constituem uma conquista técnica e científica de toda a humanidade de que os angolanos devem beneficiar para melhor o seu acesso ao conhecimento, mas não devem ser utilizadas para violar o direito das pessoas, expor a vida intima de quem quer que seja, caluniar, humilhar e veicular conteúdos degradantes e moralmente ofensivos”, alertou Santos, para afirmar que “ país deve dispor o mais depressa possível de legislação adequada para orientar a sociedade e instituições e reprovar e prevenir o surgimento deste tipo de práticas que não são inaceitáveis” .

Ainda sobre valores, o Chefe de Estado angolano lembrou que um “um cidadão que é naturalmente portador de direitos e deveres constitucionalmente consagrados deve valer por aquilo que ele é não apenas por aquilo que do ponto de vista material possui ou ostenta”.

José Eduardo dos Santos reiterou a aposta na educação, mas também pediu um envolvimento de todos, de forma criativa, para enfrentar as dificuldades que o país enfrenta e enfrentará particularmente em 2016.

“Falamos muito na diversificação da economia, mas fizemos muito pouco. Mesmo assim vale mais começar tarde do que nunca começar”, disse Santos na mensagem em que lembrou que o povo angolano venceu “desafios mais complicados e difíceis do que aqueles que encaramos hoje porque agiu sempre com confiança em si mesmo e com determinação”.

Na mensagem de Natal, o Presidente angolano garantiu ainda que o Executivo tem de ajustar os programas e planos para, cito, “enfrentar com sucesso no próximo ano, acelerando a intervenção na agricultora, pescas, turismo, indústria da madeira, indústria alimentar, indústria ligeira e mineira”, visando aumentar as exportações e reduzir as importações.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG