Links de Acesso

Polícia prende organizador e impede marcha em Cabinda

  • José Manuel

Marcha pretendia protestar contra violações dos direitos humanos e má gestão da Governadora.

A cidade de Cabinda acordou deserta mas agitada por causa da manifestação convocada pela juventude da sociedade civil. Homens fardados e à paisana patrulhavam os perímetros por onde devia passar o protesto convocado pela sociedade civil contra a violação dos direitos humanos e das liberdades fundamentais e a má governação em Cabinda.

Nas primeiras horas do dia, a polícia deteve o organizador da marcha, Marcos Mavungo, mas desconhece-se o seu paradeiro.

Confirma-se igualmente que o presidente do conselho provincial da Ordem dos Advogados Arão Tempo foi levado sob custódia pala polícia quando tentava seguir viagem para a vizinha República do Congo.

Arão Tempo foi mantido sob custódia das autoridades por alegadamente estar associado à organização da manifestação.

Em declarações à VOA mesmo escoltado pela policia, Tempo disse desconhecer a causa da sua detenção, mas adiantou “fazer um juramento a partir de hoje de defender o povo e as causas de Cabinda”, mesmo que o matem.

A manifestação abortada, segundo os organizadores, foi o meio encontrado para a população protestar contra as restrições no acesso às lavras pelas mulheres e a má governação do enclave petrolífero de Cabinda, a braços com altos níveis de desemprego, pobreza e pouco crescimento económico em relação às demais províncias do pais.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG