Links de Acesso

Polícia põe fim a cerco a hotel em Burkina Faso

  • Redacção VOA

Forças de segurança junto do hotel Splendid

Forças de segurança junto do hotel Splendid

Atentado deixou 23 mortos.

As forças de segurança de Burkina Faso entraram num dos hotéis mais importantes da capital Ouagadougou, libertaram 126 reféns e mataram três homens armados do grupo que invadiu o local no final da tarde de sexta-feira.

O atentado, que deixou pelo menos 23 mortos, foi reivindicado pela al-Qaeda no Magreb Islâmico.

Na comunicação ao país, o ministro de Segurança Simon Compaore afirmou que operações ainda estão em curso nas proximidades do hotel, enquanto os policias investigam se há agressores escondidos noutro estabelecimento.

Após o ataque, o novo Governo, nomeado na quarta-feira, convocou uma reunião de emergência para este sábado.

Ainda não foi revelada a identidade das vítimas, mas o o hotel Splendid é frequentado por soldados franceses que operam no Chade e combatem extremistas na região do Sahel, funcionários da ONU e empresários ocidentais.

O Presidente François Hollande classificou o atentado como “odioso” e a embaixada francesa relatou que, por conta do ataque, medidas de segurança foram reforçadas.

Homens armados invadiram o local após explodirem carros na entrada e também dispararam contra um café-restaurante.

Após a tomada do local, mais tiros foram ouvidos, enquanto as forças de segurança se mantiveram do lado de fora, em meio a corpos ensaguentados.

Policias que tentaram invadir o local foram baleados e morreram.

O Burkina Faso enfrenta episódios de turbulência política desde Outubro de 2014, quando o presidente Blaise Compaoré foi deposto por protestos populares.

Em 2015, foram registrados vários conflitos armados e protestos em Ouagadugou pelo controlo do Governo.

XS
SM
MD
LG