Links de Acesso

Polícia moçambicana apreende combustível em contrabando para Zimbabué

  • André Baptista

A Polícia moçambicana, em Manica, apreendeu grandes quantidades de combustivel na zona da fronteira de Machipanda, que estava em contrabando para o Zimbabué, para alimentar estações ilegais de abastecimentos de rua e quintal.

“A operação tem vindo a realizar-se desde algum tempo (…), desta vez, foi possivel apreender 106 bidons de 20 litros de combustivel, entre gasolina e diesel, portanto estamos a falar de uma média de 2 mil e poucos litros de combustível, que era transportado e contrabandeado em situações que até põem em risco os próprios contrandistas”, revelou Leonardo Colher, porta-voz da Polícia de Manica, ilucidando as perdas humanas com a tragédia de Tete.

A operação da Polícia contra o contrabando de combustivel conseguiu apreender igualmente duas viaturas, usadas na fraude, além de fardos de roupa usada e calçados e enormes quantidades de refrigerantes de diversas marcas nas montanhas fronteiriças de Machipanda, que dividem Moçambique e Zimbabué.

Ainda segundo a mesma fonte, a Polícia não conseguiu deter ninguém, pois “os contrabandistas, quando notaram a presença da polícia, abandonaram os seus veiculos, usados para materializar o contrabando”.

Contudo, adiantou, decorre um trabalho de investigação atráves das informações que a polícia tem, também usando os dados dos próprios veiculos automóveis, para chegar aos mentores dos contrabandos.

Colher garantiu que as operações contra o contrabando de combustivel prosseguem com “a intenção de desencorajar esse tipo de pratica”, por além de violar as leis do comércio colocar em risco a vida dos contrabandistas.

O contrabando de combustível para o Zimbabué tornou-se num negócio emergente na cidade fronteiriça de Manica, centro de Moçambique, aproveitando a forte desvalorização do metical face ao dólar norte americano, usado pelo país vizinho.

XS
SM
MD
LG