Links de Acesso

Polícia lança cães contra manifestantes em Luanda

  • Coque Mukuta

Activista angolano António Francisco Diogo aka Chinguari. Luanda, Angola

Activista angolano António Francisco Diogo aka Chinguari. Luanda, Angola

A polícia angolana fez uso de cães para dispersar uma manifestação de cerca de 30 pessoas em Luanda durante o fim-de-semana.

A denominada marcha de apoio à retirada de José Eduardo dos Santos visava igualmente exigir a libertação do activista Dago Nível e era promovida pelo auto-denominado Movimento Revolucionário.

O Hospital de Viana é acusado de negar assistência médica a um dos activistas atacado por um cão polícia.

António Francisco Diogo, mais conhecido por Chinguari, foi atacado por um cão e apesar dos ferimentos graves, ainda nao foi assistido já que lhe foi negado tratamento no hospital público da Vila de Viana.

Activista angolano António Francisco Diogo aka Chinguari. Luanda, Angola

Activista angolano António Francisco Diogo aka Chinguari. Luanda, Angola

“Fui para clínica e me disseram que eu tinha que ter acima de 100 mil kzs, fui aqui ao hospital da Vila de Viana e me disseram que não vão conseguir. Me disseram que não vão poder atender”, contou.

Chinguari afirma que após ter sido mordido pelo cão polícia, ele e outros foram levados pela polícia e abandonados no Sábado nos arredores da cidade.

“Mesmo com a mordida eles foram nos atirar no Neves Bendinha”, revelou.

Há cinco anos que a polícia impede qualquer manifestação em Luanda.

A última vez que tal aconteceu sem intervenção policial foi em Abril de 2011.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG