Links de Acesso

Polícia impede homenagem a Gilles Cistac na Beira

  • VOA Português

Gilles Cistac

Gilles Cistac

Cerca de 70 estudantes trajavam camisolas com os dizeres "Gilles Cistac, um homem que nunca vai morrer, estará sempre nas nossas mentes”.

A Polícia de Moçambique(PRM) impediu hoje, 5, a manifestação de cerca de 70 estudantes do Instituto de Ciências e Tecnologia Alberto Chipande que pretendiam homenagear o constitucionalista e professor universitário Gilles Cistac, assassinado na passada terça-feira em Maputo.

O jornalista Constantino Notico confirmou a notícia à VOA.

Os estudantes estavam concentrados na Praça 3 de Fevereiro, trajando camisolas com os dizeres “Gilles Cistac, um homem que nunca vai morrer, estará sempre nas nossas mentes”, quando foram impedidos pela polícia.

Depois de uma hora, os jovens foram dispersados sem violência nem prisões.

Responsáveis do Instituto de Ciências e Tecnologia Alberto Chipande disseram não entender a atitude da polícia que foi informada a tempo sobre a manifestação.

Em Maputo, o Núcleo de Estudantes de Direito da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) vai realizar, no sábado, uma marcha de homenagem ao constitucionalista Gilles Cistac

A marcha sairá às 7 horas do local onde o académico foi baleado até à Faculdade de Direito da UEM.

Os organizadores esperam que 500 pessoas participem na marcha, entre estudantes, colegas, amigos, familiares de Gilles Cistac e activistas sociais.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG