Links de Acesso

Bié: Polícia faz buscas a casas de dirigentes locais da UNITA

  • António Capalandanda

Polícia em acção no Bié (VOA/António Capalandanda - foto de arquivo)

Polícia em acção no Bié (VOA/António Capalandanda - foto de arquivo)

Vários militantes detidos em outras acções policiais

A polícia nacional no Bié, procurou armas em casa de dirigentes da UNITA, depois da direção deste partido ter acusado a Comissão Provincial Eleitoral (CPE) no Bié de ter falsificado as actas-sínteses nas assembleias de voto e contestar os resultados eleitorais provisórios.


Os mesmos apontam para a vitória do MPLA, na província, com 69,79 por cento dos votos. De acordo com o apuramento provisório, a UNITA tem 36,20 por cento dos votos e a CASA-CE 0,98 por cento.

Albano Vidal Tchissanda, secretario municipal da UNITA no Kuito, disse á Voz da América que, às 4 horas da manhã desta Quarta feira, 5 de Setembro, efectivos desdobraram-se em simultâneo em casa de cinco dirigentes e militantes do seu partido numa operação de busca de armas.

Tchissanda alega que 12 agentes da policia foram até à sua residência e cercaram-na, tendo um agente batido a porta pedindo para os ocupantes abrissem.

Tchissanda que se encontrava a dormir perguntou se os policias tinham algum mandato, mas os agentes responderam que não. O político referiu que mesmo assim decidiu abrir a porta sem oferecer resistência e os agentes entraram e começaram a revistar de baixo da cama, cozinha e vasculharam todos os lugares, sem explicar o que procuravam.

Contou ainda que, depois de acabada a revista sem encontrar nenhuma evidência os agentes disseram que procuravam armas de drogas. A mesma operação de busca, ocorreu também em casa, da secretária municipal da LIMA, Luizia Nonjamba, do irmão de Tchissanda, José Santos e do seu vizinho, Faustino Katchova.

No mercado de Tchissindo, a casa do secretário da UNITA naquela zona, Celistino Lombogo também foi alvo da operação de busca sem que tivessem apreendido nada.

Kajomba Leite, porta voz do maior partido na oposição deu ainda a conhecer que a Polícia Nacional deteve no dia 3 de Setembro, três militantes do seu partido na comuna do Cutato quando estes faziam o levantamento dos militantes da UNITA que votaram e procediam à averiguação dos problemas ocorridos com os cadernos eleitorais. Estão detidos o secretário comunal de Cutato, António Kacope, o secretário comunal para organização, Paulo Josias, e o militante Constantino Seca.

Leite disse que, eles estavam a fazer a recolha de cópias dos cartões de eleitores dos militantes UNITA que não puderam votar, para depois o partido fazer uma reclamação.

Segundo aquele dirigente partidário, os três membros do seu partido foram depois transferidos da esquadra comunal para a cadeia do comando municipal, na presença do comandante municipal da Polícia Nacional do Chinguar, João Batista Samandele.

O secretário da UNITA na comuna do Mwenya, Antonio Nunulu, diz Leite, foi preso hoje, 5 de Setembro, pelas nove horas, enquanto que, Manuel Embamba, secretário do sector Tchingi, foi detindo ontem 4 de Setembro, pela policia de Kamakupa, quando faziam a recolha dos cartões de militantes do seu partido que não votaram.
A Voz da América tentou sem sucesso ouvir a polícia no Bié.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG