Links de Acesso

Plataforma afundou mas não houve derrame

  • Coque Mukuta

Pescadores dizem não ter registado prejuízos com afundamento. Mais de 130 trabalhadores encotnravam-se na sonda e um desapareceu


O afundamento de uma plataforma petrolífera ao largo da província angolana do Zaire parece não ter provocado um derrame de petróleo.




A plataforma afundou no passado dia 1 de Julho mas pescadores entrevistados no local pela Voz da América disseram não se ter registado qualquer derrame que os pudesse afectar.

Ainda estão por esclarecer as razões do afundamento.

Segundo o Jornal de Angola, a base do Kwanda prestou os primeiros socorros e os feridos foram transferidos para Luanda. O acidente já teve reacção do Ministério do Ambiente.

A plataforma é propriedade da petrolífera italiana Saipem, empresa subcontratada pela Chevron para perfurar um poço de petróleo no Soyo. Segundo o Jornal de Angola de estiveram na plataforma, 103 trabalhadores que se encontravam a bordo da sonda “Perro Negro 6”, que se afundou em águas profundas, no município do Soyo, província do Zaire. Uma pessoa está dada como desaparecida e os restantes já se encontram em Luanda.

A "Perro Negro 6", construída em 2009, na Indonésia, estava alugada à companhia o acidente registou-se no dia 01 de Julho deste ano.

Alguns pescadores da Ilha do Ponto Padrão no Município do Soyo, que testemunharam o desabamento da Sonda da plataforma “Perro Negro 6”, não sabem precisar o número de mortes de funcionários nem de danos provocados pela queda daquela plataforma.

“Apenas ouvimos que partiu uma perna da sonda” disse.

Outro pescador de nome Alexandre José Juliana o desabamento não criou problemas nas pescas.

Contudo disse que no passado tem havido casos de derramamento de petróleo o que acarreta consigo muitos danos nas pescas.

A Direcção da Chevron a mesma mostrou-se indisponível para prestar qualquer informação sobre o assunto.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG