Links de Acesso

Personalidades internacionais pedem por Rafael Marques

  • Redacção VOA

Rafael Morais, activista e jornalista angolano

Rafael Morais, activista e jornalista angolano

Carta aberta foi enviada ao Presidente da República.

Personalidades do mundo da tecnologia, jornalismo, teatro, cinema e negócios, incluindo a companhia de jóias Tiffany & Co, enviaram um carta aberta ao Presidente angolano José Eduardo dos Santos em que pedem a sua intervenção para retirar as acusações contra o jornalista e activista Rafael Marques.

"O julgamento de Rafael foi uma farsa. Ele foi informado que as acusações seriam retiradas apenas para fossem feitas novas acusações contra ele, ficando sem apresentar provas ou testemunhas”, disse Jodie Ginsberg, presidente do Index on Censorship, organização de defende a liberdade de expressão.

"Rafael é um corajoso jornalista, que trabalha com pouco apoio para expor a corrupção em Angola. Este veredicto é absurdo e serve para impedi-lo de falar. Nós queremos ter certeza de que isso não aconteça”, reiterou Ginsberg.

A carta aberta dirigida ao chefe de Estado angolano recorda que o trabalho de Rafael Marques é "relevante" não apenas para Angola mas também a nível mundial e indica que a organização vai acompanhar o apelo que foi apresentado pelos advogados de defesa do jornalista no sentido de garantir que são aplicados os "padrões do direito internacional".

O documento foi assinado por dezenas de personalidades, entre elas, o fundador da Wikipedia Jimmy Wales, os dramaturgos Howard Brenton e Timberlake Wertenbaker, os jornalistas Sir Harold Evans e Christina Lamb, o caricaturista político sírio Ali Ferzat, o realizador do filme “Doze anos escravo” Steve McQueen e o escritor britânico Philip Pullman, entre outros.

Recorde-se que Rafael Marques foi galhardoado em Março passado com o prémio de Liberdade de Expressão da Index on Censorship.

Até agora não há reacções do Governo.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG