Links de Acesso

Perde-se eleições perde-se o emprego

  • Coque Mukuta

Sem lugar aqui não há emprego

Sem lugar aqui não há emprego

Dirigentes de partidos extintos vão para o desemprego

Para muitos políticos angolanos não entrar para o parlamento significa o desemprego, disse o analista político Makuta Nkondo




Um total de 67 partidos políticos foram extintos pelo Tribunal Constitucional com base na Lei dos Partidos Políticos, por não terem obtido 0,5 porcento dos votos válidamente expressos nas eleições gerais de 2012 e outros por não concorrerem pela segunda vez.

Segundo analista Makuta Nkondo vários líderes destas formações políticas encontram-se no desemprego por não terem outra profissão além da política.

“Sim estão no desemprego ,a maioria destes líderes são desempregados” disse

“Acontece que a maioria destes líderes não tem meio de sobrevivência” frisou.

Makuta Nkondo adianta ainda muitos deles tinham viviam do valor que o estado atribuía e que após a extinção dos seus partidos os mesmos viram-se desesperados.

Nkondo disse ainda que muitos desses líderes usavam os subsídios do estado para seu bem pessoal sem tomarem em conta os interesses dos seus partidos.

A Voz da América tentou o contacto com vários líderes das formações políticas extintas mas os mesmos remeteram-se ao silêncio.

O Tribunal Constitucional informa que neste momento os partidos políticos com registo e inscrição em vigor são os seguintes Partidos com assento parlamentar: MPLA, Unita, PRS, FNLA a Coligação CASA-CE e estão também em vigor os Partidos sem assento parlamentar, nomeadamente; Partido Democrático para o Progresso de Aliança Nacional de Angola (PDP-ANA), Bloco Democrático (BD), Movimento de Defesa dos Interesses de Angola - Partido de Consciência Nacional (MDIA-PCN) (com processo de extinção pendente de novo pedido do Procurador Geral da República).

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG