Links de Acesso

Patche di Rima quer colocar a música guineense no mundo

  • Lassana Casamá

Patche di Rima

Patche di Rima

Patche di Rima impõe-se na arena musical guineense com a sua mescla de ritmos e forte aposta no gumbé. Agora tem uma nova aposta: colocar a musica do seu país no mundo.

A carreira de Patche di Rima começou no ano 2000. A sua aposta era o rap. A relação não durou, apesar de nunca ter lhe faltado publico.

Após certa notoriedade, decidiu seguir a linha tradicional guineense, com uma missão concreta: colocar a música do seu país no mundo.

Para tal, Patche di Rima explora muitos ritmos guineenses, mas o gumbé é o de eleição.

Muito dedicado, Patche di Rima, cedo rumou para Portugal, onde encontrou o artista musical guineense, Antão Martins, que já conhecia em Bissau. Desse reencontro nasceu o seu primeiro álbum intitulado “Genial Amor”.

Patche Di Rima nunca se conformou com a vida de emigrante em Lisboa. Regressou a Bissau e conseguiu gravar os projectos musicais Horizonte e Guiné no Coração.

Hoje, com 31 anos de idade, Patche di Rima aposta no crescimento da indústria musical da Guiné-Bissau, que na opinião de alguns deverá sair da dependência cabo verdiana e angolana.

Patchi diz que, entre 2003 e 2004, percebeu que deveria assumir uma posição de liderança nesse processo.

Acompanhe a entrevista:

XS
SM
MD
LG