Links de Acesso

Ouvinte moçambicano diz que ensino superior privado pode prejudicar qualidade de ensino

  • Danielle Stescki

Joaquim Ivandro, de 25 anos, é formado em Relações Internacionais e Diplomacia, trabalha no Banco FNB. Para ele, a educação superior em Moçambique é um tema que merece bastante debate.

Segundo Ivandro, há muitas pessoas que terminam a universidade e são incapazes de escrever um texto sem erros gramaticais. Ele sugere que parte desse problema deve-se à maneira como os estudantes são admitidos nas universidades privadas.

Para entrar numa universidade privada em Moçambique, Ivandro explica que o aluno precisa ter dinheiro para pagar as propinas mensais, enquanto na universidade pública o estudante precisa participar num concurso público, ter boas médias e ser entrevistado.

Joaquim Ivandro acredita que esta relação comercial entre a universidade privada e o aluno está a prejudicar a qualidade do ensino superior no país. Ele alega que as facilidades oferecidas pelas universidades privadas fazem com que estudantes sem preparação sejam admitidos.

A consequência dessas admissões baseadas no poder económico do aluno e não no mérito faz com que estudantes despreparados tenham dificuldade de acompanhar os cursos. No entanto, como pagam para estudar em determinada universidade eles continuam a avançar receber o diploma.

Ouça a entrevista completa com Joaquim Ivandro para saber mais sobre este assunto.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG