Links de Acesso

Ouvinte fala sobre cidades históricas brasileiras e ligação com África

  • Danielle Stescki

Danilo Nonato escutando emissão em onda curta em Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil.

Danilo Nonato escutando emissão em onda curta em Porto de Galinhas, Pernambuco, Brasil.

Danilo Nonato quer que as pessoas conheçam o lado B do Brasil, ou melhor, o lado bom do país.

O produtor de multimédia Danilo Nonato, de 30 anos, está a preparar um documentário sobre o trabalho dos radioamadores que deve ficar pronto ainda este ano.

Segundo ele, a ideia é mostrar um pouco mais dessa comunidade, sobretudo os bastidores e o trabalho humanitário que eles fazem no Brasil, Estados Unidos e em África.

Centro histórico de Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil.

Centro histórico de Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil.

Nonato mora em Ouro Preto, uma cidade histórica de 318 anos localizada no interior de Minas Gerais, e famosa pela arquitetura colonial.

Ouro Preto também é conhecida como um museu a céu aberto, e fica apenas a 12 quilómetros de Mariana, que se destacou como uma das maiores produtoras de ouro para a coroa portuguesa no século XVII.

Mariana, Minas Gerais

Mariana, Minas Gerais

"São cidades que têm uma ligação importantíssima com a África. Quem construiu as cidades aqui, nas vilas de Minas, foram os nossos irmãos africanos durante o período da colonização portuguesa," explica Nonato.

Igreja das Mercês em Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil.

Igreja das Mercês em Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil.

Ele ressalta que Ouro Preto, Mariana e Congonhas têm uma ligação muito forte com a África por causa de António Francisco Lisboa, também conhecido como o Aleijadinho.

Com efeito, o Alejadinho era filho de um português com uma escrava, e hoje é considerado o maior expoente dos estilos barroco e rococó no continente americano.

Aleijadinho

Aleijadinho

Faz 201 anos que morreu o escultor, entalhador e arquiteto do Brasil colonial.

Danilo Nonato diz que além das artes, o estado de Minas Gerais também é conhecido pela culinária, pelas cachoeiras e pelas festas nocturnas muito frequentadas pelos jovens.

Nonato, que trabalha na Rádio da Universidade Federal de Ouro Preto, diz que a universidade recebe numerosos estudantes de África através de convénios entre o governo brasileiro e os governos dos países africanos.

Sobre a cidade de Mariana, que recentemente sofreu com o rompimento de uma barragem de uma empresa de mineração, ele esclarece que a parte histórica da cidade está intacta. O desastre ecológico ocorreu a pelo menos 20 quilómetros da região, dois meses atrás.

Confira a entrevista na íntegra.

XS
SM
MD
LG