Links de Acesso

"Os brasileiros é que têm de falar sobre prostituição, não eu", afirma Kangamba sobre processo no Brasil

  • Alvaro Ludgero Andrade

Angola Bento dos Santos Kangamba

Angola Bento dos Santos Kangamba

Acompanhe a entrevista na íntegra do general Bento Kangamba à VOA.

O general Bento dos Santos Kangamba diz não ter nada a ver com o suposto tráfico de brasileiras para prostituição em Angola, África do Sul ou outros países e afirma que, são "os brasileiros que têm de explicar", não ele.

Em entrevista à VOA, Kangamba reitera não ter nada a ver com o caso, garantindo que nunca foi ao Brasil e que não está impedido de viajar para nenhum lugar porque nenhum tribunal o acusou "em nenhum lugar".

Na entrevista, que aqui publicamos na íntegra, o general e empresário afirma também estar disposto a ir a Portugal responder na justiça caso for intimado o que nunca aconteceu e desmente todas as acusações vindas a público.

Bento Kangamba não está a ser perseguido

Kangamba reiterou ter apenas uma casa e um apartamento em Portugal, onde foi encontrado um milhão e 700 mil dólares guardados, "o que não é crime".

"Kangamba é uma marca", reiterou o empresário que afirma não ter nada a esconder nem a justificar porque não recebe dinheiro do Estado. "Não sou bandido", afirma o general, que justifica as acusações contra ele com interesses de pessoas que querem atacar o Presidente da República José Eduardo dos Santos.

Acompanhe a entrevista:

"Não sou bandido", diz o general

Kangamba nega acusações no Brasil

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG