Links de Acesso

Open Society desmente financiamento de televisão online em Angola

  • Redacção VOA

Elias Isaac

Elias Isaac

Angop revelou que a organização não governamental estava a financiar uma televisão online do chamado Movimento Revolucionário.

A Fundação Open Society negou nesta segunda-feira que tenha financiado a instalação de uma televisão online a favor do chamado Movimento Revolucionário, conforme notícia revela pela agência de notícias Angop no passado sábado, 27.

O responsável daquela organização cívica em Angola, Elias Isaac disse à VOA que não se espantou com mais esta acusação que se junta a várias outras feitas noutras ocasiões.

Isaac esclareceu ainda que a Open Society não apoia organizações ou iniciativas fora do conhecimento das autoridades governamentais.

“Como sabemos que o estabelecimento desses órgãos de informação no nosso país é muito complicado e politicamente quase impossível, neste momento, a Open não se mete nisso”, disse.

No último fim de semana, a Angop acusou a Fundação Open Society de ter financiado a montagem de uma estação de televisão online na residência do cidadão Dionísio Gonçalves “Carbono”, que, supostamente, serviria para “apoiar os planos de rebelião e desestabilização em Angola”.

A organização não-governamental internacional, é acusada pelas autoridades angolanas de promover a desestabilização de regimes democráticos .

Segundo a Angop , o cidadão Dionísio Gonçalves, conhecido por Carbono Dionísio, também acusado de crime de rebelião, teria pedido asilo na Embaixada dos Estados Unidos da América em Luanda, informação que o mesmo desmentiu à VOA no passado sábado.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG