Links de Acesso

Obama anuncia 14 mil milhões de dólares para investimentos em África

  • Alvaro Ludgero Andrade

President Barack Obama talks to reporters at the White House, Aug. 1, 2014.

President Barack Obama talks to reporters at the White House, Aug. 1, 2014.

Líderes dos Estados africanos de língua portuguesa esperam mais investimentos americanos nos seus países.

O presidente Barack Obama vai anunciar dentro de algumas horas um fundo financiado por empresas americanas no valor de 14 mil milhões de dólares para investimentos em África nos próximos tempos.

Obama fará este anúncio no Fórum de Negócios Estados Unidos -África, no âmbito da cimeira que começou hoje, 5, aqui em Washington e na qual estão presentes representantes dos países de língua portuguesa.

Uma fonte da Casa Branca disse que os investimentos vão beneficiar as áreas de energia, banca, construção e tecnologia da informação.

A anteceder a cimeira de hoje, realizaram-se ontem vários seminários e fóruns sobre segurança regional, saúde, meio ambiente e corrupção.

Um dos mais concorridos foi o Fórum Agoa em que tanto americanos como africanos defenderam a renovação de lei de oportunidade de crescimento de África, que regula as exportações africanas em condições vantajosas para os Estados Unidos.

Hoje, na abertura da cimeira, o vice-presidente Joe Biden afirmou que o continente africano tem uma das economias que mais crescem no mundo e que os países do continente vão ser determinantes no desenvolvimento da humanidade.

A este propósito, o vice-presidente angolano Manuel Vicente disse ontem aqui em Washington que a economia do seu país vai crescer este ano seis por cento.

Manuel Vicente encontrou-se também com o secretário de Estado americano John Kerry com quem abordou questões relacionadas à cooperação, desenvolvimento da paz e segurança no continente e no mundo.

O vice-presidente angolano disse querer ver os Estados Unidos a participar em outras áreas para o desenvolvimento de Angola.

Por sua vez, em entrevista à VOA, o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe Gabriel Costa classificou a cimeira um marco importante no relacionamento entre os Estados Unidos e África.

Gabriel Costa apontou o turismo como um sector que pode receber investimentos americanos.

Em conversa também com a VOA o presidente de Cabo Verde Jorge Carlos Fonseca diz que "todos esperam que este evento constitua uma rampa de lançamento de uma autêntica parceria estraégica entre a África e os Estados Unidos mais sólida, mais diversificada e mais eficiente".

A cimeira entre os Estados Unidos e África em que participam chefes de Estado de cerca de 50 países ou seus representantes termina amanhã.

XS
SM
MD
LG